sexta, 26 de fevereiro de 2021

Saúde
Compartilhar:

Profissionais alertam sobre riscos da automedicação

Francisco Varela Neto / 20 de julho de 2017
Foto: Francisco Varela Neto
Fazer uso de medicamentos sem prescrição médica é uma prática de muitas pessoas. Às vezes, por achar que aquele medicamento é o certo para o problema, ou por falta de tempo e oportunidade de procurar um médico. No entanto, essa é uma prática que é duramente criticada pelos profissionais da saúde, tendo em vista que aquilo que seria para resolver o problema e melhorar a saúde, pode ter o efeito inverso. O médico e professor da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Eduardo Sérgio, e o vice-presidente do Sindicato Farmacêutico da Paraíba, Sérgio Luís, condenam esta prática. Comente no fim da matéria. 

De acordo com o professor Eduardo Sérgio, um medicamento certamente tem o intuito de minimizar um problema de saúde, no entanto, se for utilizado de forma errada, pode ser um veneno para o corpo humano.

"Partindo daquela fase bastante conhecida popularmente que dependendo da dose de determinado produto, ele pode ser um medicamento, ou seja, ele pode minimizar algum problema de saúde. Mas ele também pode ser um veneno, ele pode prejudicar, ele pode provocar dano", alertou.

Na opinião do médico, a mensagem que deve ser passada para a população é que a utilização de medicamentos deve ser sempre feita com a orientação de profissionais da área da saúde.

"Então é nesse sentido que a gente orienta as pessoas que o uso de medicamento deve ser orientado por um profissional de saúde, então nós temos os médicos, os farmacêuticos as enfermeiras. Eu acho que esse é o ponto mais importante da nossa mensagem, o uso de medicamento tem que ser sob a orientação dos profissionais de saúde", afirmou.

A opinião do vice-presidente do Sindicato Farmacêutico da Paraíba é a mesma. De acordo com ele, se a pessoa que vai à farmácia não estiver com uma prescrição, é sempre importante ela ouvir a orientação do farmacêutico.

"A gente entende que a população acredita que a farmácia está disponível para você se automedicar, mas a farmácia está disponível para você procurar o farmacêutico com a prescrição médica e quando não for com prescrição, que ele receba a orientação do farmacêutico na farmácia", explicou.

Para Sérgio Luís, a automedicação não é o caminho certo e inclusive as instituições da saúde já fazem campanha no sentido de combate a essa prática.

"Isso é uma cultura que a gente tem e que é combatida. Existem legislações que já combatem; os conselhos de medicina, de farmácia, eles têm abordado bastante isso. A gente defende o uso racional de medicamento. Todo medicamento é uma droga, mas nem toda droga é um medicamento; tem que saber fazer o bom uso e de forma racional ", finalizou.




 

Relacionadas