sexta, 26 de fevereiro de 2021

Saúde
Compartilhar:

Posto de saúde de Valentina funciona com gambiarra na energia elétrica

Lucilene Meireles / 24 de maio de 2017
Foto: Nalva Figueiredo
A Unidade Integrada de Saúde Valentina, próximo à Fundação Bradesco, em João Pessoa, está funcionando com energia abaixo da necessária para suportar os equipamentos. A denúncia foi feita por um morador do bairro e usuário do local. Segundo ele, o medidor do prédio foi instalado pela Energisa, mas não foi ligado e existe apenas uma gambiarra. A Energisa, por sua vez, admitiu o problema e prometeu resolver em breve, mas não estipulou um prazo.

DEIXE SEU COMENTÁRIO NO FINAL DA MATÉRIA

O usuário Manoel Inácio Neto, que é membro do Núcleo de Defesa da Vida, autor da denúncia, afirmou que alguns equipamentos do posto, inclusive, queimaram porque a energia fornecida não suporta os aparelhos. “Encontrei um pessoal que faz estágio no posto. Eles contaram que ontem (segunda-feira) queimou um aparelho. Tem também dentistas que utilizam outros equipamentos e eu acredito que está dando problemas. Eles negam, mas acho que por medo”, disse.

O prédio concentra três Unidades de Saúde da Família e funciona há pouco mais de um ano. Segundo o denunciante, na época da construção, o medidor foi instalado em um poste, na parte externa do prédio, mas falta concluir o serviço. Manoel Inádcio afirmou que a Energisa havia dado um prazo de 15 dias para solucionar o problema, mas cerca de três meses se passaram e não houve solução.

De acordo com a Energisa, foi feita uma inspeção no local na última sexta-feita. A assessoria de imprensa informou que, segundo o parecer da equipe da área, o prédio está sendo atendido pela medição abaixo da necessária. Porém, não há perda de consumo. Ainda segundo a assessoria, a inauguração ocorreu antes da ligação nova ser feita, mas a coordenação da Energisa que cuida das relações com o poder público está em contato com o Município para que a ligação definitiva seja feita o mais rápido possível. O prazo, no entanto, não foi informado.  “Nós, moradores e usuários, queremos que as coisas funcionem corretamente. Por que o projeto que foi pago pela Prefeitura não está funcionando? Não dá para entender”, disse Manoel Inácio.

Relacionadas