sexta, 22 de janeiro de 2021

Saúde
Compartilhar:

PB registra novas mortes por suspeita de H1N1 e chikungunya; uma das vítimas tinha 17 anos

Renata Fabrício, Fernanda Figueirêdo e Luana Barros / 22 de abril de 2016
A chikungunya e a gripe H1N1 fizeram novas vítimas na Paraíba esta semana. Um coronel reformado morreu em Patos com suspeitas de ter a doença transmitida pelo mosquito Aedes aegipty, nessa quinta-feira (21) de madrugada. No mesmo dia, uma jovem de apenas 17 anos, que estava internada em Campina Grande, veio a óbito com suspeitas da H1N1.

Janicleide de Sousa Cordeiro era de Maturéia, Sertão do Estado, e estava internada havia 17 dias no Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (Isea). A jovem chegou à unidade de saúde com uma gestação de oito meses e os médicos tiveram que fazer um parto prematura para garantir a vida do bebê.

Segundo a mãe da jovem, Maria Dolores de Sousa Cordeiro, inicialmente ela apresentou sintomas de gripe e chegou a procurar atendimento médico por três vezes na cidade de Patos. Porém, os médicos sempre a mandavam para casa com a recomendação de que fosse medicada com paracetamol.

Sem obter resultados e já com um quadro de insuficiência respiratória, Janicleide foi finalmente encaminhada ao Isea, onde os profissionais detectaram que insuficiência respiratória aguda era em decorrência da síndrome do desconforto respiratório causado pela influenza com pneumonia.

O diretor do Isea Antônio Henriques, revelou que o laudo ainda ainda está em andamento para confirmar a causa da morte da adolescente.  “Quando ela deu entrada no hospital ainda estava consciente, mas precisou ser sedada para intubação e depois disso não acordou mais, não viu sua filhinha. Ela estava com o quadro de insuficiência respiratória foi intubada e respirava por ventilação mecânica, e todo o quadro era similar aos sintomas do vírus H1N1”.

Dados da Saúde

Só na Paraíba, até o dia 14 de abril, o número de casos notificados de H1N1 chegava a 37, sendo 4 descartados, dois confirmados e 31 ainda em investigação. Em relação ao número de óbitos, houve 11 notificações, sendo um descartado e dez em investigação.

Em Patos vítima foi da chikungunya

Um coronel reformado da Polícia Militar morreu na quinta-feira (20) com suspeita da febre chikungunya, no Hospital Regional de Patos, Sertão do Estado. O coronel Manoel Cordeiro de Araújo, de 72 anos, era ex comandante do 3º Batalhão e morreu por volta das 4h30 da madrugada na unidade de terapia intensiva do Regional. Segundo o último boletim divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde, ainda não haviam óbitos suspeitos registrados na cidade de Patos.

De acordo com a tenente Layla Medeiros, o coronel havia sido internado na unidade com sintomas da chikungunya, mas durante o período no hospital passou por complicações. “Ele foi internado com sintomas de chikungunya e teve complicações durante a internação. Chegou a ter pneumonia, AVC, insuficiência cardíaca e renal”, disse.

Chikungunya

1.371 casos notificados como suspeita de chikungunya de janeiro até agora

6 óbitos suspeitos de chikungunya nos municípios de:

Monteiro (1)

Aroeiras (1)

João Pessoa (1)

São José do Umbuzeiro (1)

Soledade (1)

Santa Cecília (1)

Relacionadas