terça, 26 de janeiro de 2021

Saúde
Compartilhar:

Paraíba confirma mais de dois mil casos de dengue e chikungunya; dez já morreram

Aline Martins / 25 de abril de 2018
Foto: Reprodução
O Boletim Epidemiológico divulgado nessa terça-feira (24) pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) mostrou que foram notificados 2.003 casos suspeitos de arboviroses (dengue, zika, chikungunya) na Paraíba de 1º de janeiro a 17 de abril. Um aumento de 387% se comparado com o boletim anterior divulgado em fevereiro deste ano quando foram registrados 411 casos suspeitos. As doenças que mais tiveram crescimento foram dengue e chikungunya. A SES informou que há ações programadas para o combate ao mosquito transmissor das doenças como intervenção do carro fumacê, mobilização e distribuição de material educativo.

Para a gerente Operacional de Vigilância Epidemiológica da SES, Izabel Sarmento, o aumento dos casos suspeitos já é esperado para esse período do ano, pois há mais dias de chuvas intercalados com dias de Sol. Fase ideal para a proliferação do Aedes aegypti. Por conta disso, a orientação é evitar criadouros do mosquito fazendo limpeza das calhas e evitar o acúmulo de água parada em pneus e recipientes descartados.

“O ano passado foi um ano tranquilo se comparado com 2015 e 2016, mas não estamos vivendo um período complicado. Nós sabemos que a dengue tem quatro sorotipos e pode acontecer de que em algumas localidades, é uma suspeita ainda, de que esteja circulando algum sorotipo que ainda não havia circulado naquela área”, explicou.

A dengue, diferentemente da chikungunya, é uma doença que permite uma pessoa ser infectada por mais de um sorotipo que circula em uma determinada área. Segundo Izabel Sarmento não é possível afirmar que os números representam casos de epidemia das doenças, pois nos anos de 2015 e 2016, nesse mesmo período, se registraram um maior número de casos da dengue, por exemplo.

A gerente Operacional de Vigilância Epidemiológica da SES informou que essa semana foi realizada uma visita técnica de intervenção em Coremas, no Sertão do Estado. No município teve um aumento de casos de dengue e a Secretaria fez esse trabalho.

Domicílios fechados

Este ano, de 1º de janeiro a 31 de março foram realizadas 1.735.881 visitas domiciliares, sendo que 149.641 imóveis (8,6%), nos 223 municípios, estavam fechados.

Para combater ao surgimento do mosquito Aedes aegypti, responsável pelas arboviroses, estão programadas ações como o monitoramento e acompanhamento da situação epidemiológica e ambiental pelas áreas técnicas; mobilização e distribuição de material educativo referente às arboviroses; apoio técnico ‘in loco’ conforme situação epidemiológica e ambiental dos municípios; intervenção com aplicação do UBV Pesado (carro fumacê), respeitando os critérios Epi-entomológicos estabelecidos na Nota Técnica nº 01 de 2018.

Relacionadas