quinta, 06 de maio de 2021

Saúde
Compartilhar:

Outubro Rosa termina e mulheres continuam sem acesso ao diagnóstico do câncer

Ainoã Geminiano / 29 de outubro de 2015
Foto: Rafael Passos
A campanha Outubro Rosa termina hoje em meio a uma polêmica sobre as sobra de mamografias todos os meses. Enquanto os gestores públicos dizem que falta interesse das mulheres em procurar o exame, a ONG Amigos do Peito denuncia que existe uma grande demanda reprimida e que a burocracia impede o acesso das mulheres ao serviço público.

Segundo a coordenadora de Saúde da Mulher de João Pessoa, Tânia Lucena, existe uma resistência das mulheres à realização da mamografia e isso estaria provocando essa sobra dos exames.

“Muitas não se interessam e outras acham que o exame é dolorido, por isso vão deixando de lado. Estamos programando uma campanha de conscientização para o ano que vem, para atrair as mulheres e tentar zerar essa sobra”, disse.

Tânia disse que, somente em outubro, foram agendadas mais de 7,7 mil mamografias, que serão realizadas até o final de dezembro. Hoje, as unidades de saúde da Capital farão um esforço concentrado no sentido de atender o maior número possível de mulheres e encaminhá-las para o exame.

Apesar da explicação da coordenadora, um mutirão de atendimento feito no último dia 17, no Hospital Napoleão Laureano, como parte da campanha coordenada pela ONG Amigos do Peito, atraiu mais de mil mulheres, para uma oferta de 250 mamografias.

“Foi um momento difícil para nós que organizamos o mutirão, por conta da confusão que se formou, mas foi gratificante por outro lado, porque mostrou a mentira do discurso oficial. Mostrou que existem muitas mulheres querendo fazer o exame e simplesmente não conseguem. Vieram muitas mulheres de cidades do interior, mas a grande maioria era daqui de João Pessoa”, disse a mastologista Joana Barros, coordenadora da organização.

Leia mais no Jornal Correio da Paraíba.

 

Relacionadas