sábado, 12 de junho de 2021

Saúde
Compartilhar:

“Olho precisa respirar, não existe lente permanente”

Lílian Moraes / 05 de junho de 2017
As lentes de contato são um dos acessórios que vieram mudar a rotina de milhões de pessoas que usavam óculos de grau. Até músicas criticavam o uso de óculos como dos Paralamas nos anos 1980.

“Por que você não olha pra mim?

Me diz o que e que eu tenho de mal.

Por que você não olha pra mim?

Por trás dessa lente tem um cara legal.

Mas, apesar de realçar a beleza dos olhos é preciso ter cuidado com o tempo e, sobretudo, com a limpeza das lentes após o uso e antes de colocá-la nos olhos. A falta de cuidados resultou na cegueira da estudante inglesa que Irenie Ekkshis, que hoje faz campanha para conscientizar usuários de lentes.

Colocadas diretamente na superfície dos olhos para corrigir a visão, as lentes de contato podem ser utilizadas para corrigir problemas de visão à longa ou curta distância (miopia, hipermetropia e astigmatismo) e também os problemas de visão para perto relacionados à idade (presbiopia). A oftalmologista Samantha de Albuquerque, alerta que não existe lente de contato permanente.

Quais são os primeiros passos para quem quer tentar lentes de contato? E quem pode usar lentes?

O primeiro passo fundamental para quem quer tentar usar lentes de contato é fazer a consulta com o médico oftalmologista, que é o profissional habilitado para fazer a avaliação das condições de saúde geral, o uso ou não de medicações, as condições oculares, o tipo de lente mais adequado para cada caso e por fim, como essa lente está no olho do paciente, uma avaliação feita com microscópio. Esse processo, chamado adaptação, é muito mais complexo do que apenas "escolher o grau". De maneira geral,  pacientes a partir de 12 anos, sob supervisão médica e respeitada as indicações e limitações de cada caso podem ser candidatos a usar lentes de contato. Lembrando que a avaliação médica é personalizada caso a caso.

Quais as contraindicações para o uso de lentes de contato?

Existem várias contraindicações, e desde doenças gerais como diabetes descontrolada, imunossupressão severa, doenças oculares como olho seco severo, ambiente contaminado ou muito seco, medicações que alterem de maneira importante a lágrima, como anti-histamínicos, ansiolíticos, etc. A maioria das contraindicações é relativa e na consulta oftalmológica é avaliada a condição global do paciente e realizado tratamento de condições que atrapalhem, mas não contraindiquem de maneira absoluta o uso, para que posteriormente seja realizada a adaptação, com teste preliminar.

Muitas pessoas trabalham e passam muitas vezes o dia inteiro de lente. Na sua opinião de especialista, quantas horas por dia pode se usar a lente?

De maneira geral recomenda-se usar as lentes no máximo 2/3 das horas acordadas, reservando um terço para o "descanso". Horas dormidas não contam.

Muitos usuários de lente de contato dormem com a lente. A senhora concorda? Pode dormir de lente?

Não se deve dormir de lentes, pois a oxigenação cai enormemente. A limpeza de células mortas e pequenas partículas, que é promovida pela troca da lágrima ao piscar, é praticamente inexistente quando dormimos. A chance de infecção aumenta 40 vezes.

As lentes permanentes devem ser retiradas de quanto em quanto tempo?

Não existe lente permanente e todas as lentes devem ser retiradas todos os dias para dormir. Dormir com lentes aumenta o risco de infecção em 40 vezes, por exemplo.

O modo de descarte varia entre lente diária ou de uso único, lentes de descarte quinzenal, lente mensal e lente anual, de acordo com cada fabricante. De acordo com a interação e comportamento nos olhos o médico altera para menos o prazo de descarte. Dentre as lentes descartáveis não existe lente de uso diferente do descrito acima, por isso o cuidado com informações equivocadas encontradas na internet ou orientadas por pessoa não habilitada.

O olho necessita de "descanso" todos os dias, independentemente de a lente ser descartável ou anual.

Que procedimentos os usuários de lentes permanentes devem ter para garantir a saúde dos olhos?

O paciente após passar em consulta oftalmológica e fazer todo o processo de adaptação, também será orientado a como manusear e descartar as lentes. Pontos importantes a serem lembrados são sempre lavar bem as mãos, secar as mesmas, nunca usar água ou soro fisiológico para limpar e conservar as lentes de contato e sempre descartar no prazo recomendado, além de não dormir com as mesmas. Vale também lembrar que as lentes devem ser friccionadas com o produto adequado, chamado solução multipropósito, não basta só molhar. O produto também deve ser trocado todos os dias no estojo.

Relacionadas