domingo, 19 de maio de 2019
Saúde
Compartilhar:

Médicos de férias, pacientes sem atendimento

Lucilene Meireles / 21 de julho de 2018
Foto: Nalva Figueiredo
Na lógica, deveria haver um médico para substituir o outro em caso de férias nas Unidades de Saúde da Família, mas na prática, não é isso que acontece. No bairro de Cruz das Armas, por exemplo, a USF Cruz das Armas VI conta com uma médica, mas quando ela entrou de férias, apenas uma enfermeira respondia pelo local. A denúncia é dos usuários do posto, mas a realidade não é só de lá. Em outros bairros, esse e outros problemas, como a demora na realização de exames, são corriqueiros. Diante da situação, de nada adianta dizer que João Pessoa tem uma das maiores coberturas de saúde da família entre as capitais do país. “Cobre o quê, se falta médico, falta exame, falta tudo?”.

O questionamento é da aposentada Marluce Félix dos Santos, 66, que, durante o período de férias da profissional, ficou sem opção para cuidar da saúde. “Se a médica entrar de férias, não vem ninguém para ficar no lugar dela. Se ela ficar doente, também não tem atendimento. Fica só a enfermeira para verificar pressão, essas coisas. Mesmo assim, quando a gente chega, o tratamento dos funcionários é ruim. Sou cardíaca, diabética, tenho hérnia de disco e, infelizmente, não posso pagar um plano de saúde. Quando chego (na USF), não tenho prioridade”, reclamou.

A manicure Cristiane Elias da Silva, 39, tem problema de coluna e relatou que a situação contribui para piorar as condições de saúde dos usuários. “Sofro com dores na coluna há muito tempo. A Secretaria de Saúde deveria saber que doença não espera terminarem as férias da médica. Tem que ter alguém para atender as pessoas. O posto é para isso e, o pior é que, quando acontece a consulta, vem outra dor de cabeça que é para fazer os exames. A demora é grande. Há três anos espero um exame de imagem da coluna”, constatou.

“O tratamento na unidade VI é péssimo. Respondem com grosseria, dão as costas”. Foi assim que a manicure Rosângela Nascimento da Silva resumiu a situação na USF Cruz das Armas VI. “Uma amiga tem problema de varizes e uma delas estourou. Ela veio e não tinha nem uma faixa para enrolar a perna. Um absurdo”, denunciou. Segundo a usuária, nas férias da médica, os pacientes são orientados a procurar outra unidade de saúde. “O problema é que quando a gente chega lá, não querem atender. Além disso, ela relatou que os encaminhamentos para exames são feitos, mas não chegam até o usuário para que ele faça o exame.

Resposta da SMS 

A reportagem questionou a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de João Pessoa sobre o esquema adotado para o caso de férias dos médicos, evitando que as USFs fiquem sem o profissional. De acordo com a secretaria, no momento não há médicos itinerantes por falta de profissionais médicos que se disponibilizem a trabalhar com esta função. Para os casos que a enfermeira não consiga resolver na própria unidade, é feito o encaminhamento seguro, ou seja, ela ou o gerente da unidade entra em contato por telefone com a unidade básica de saúde mais próxima para que o atendimento seja realizado ainda no mesmo turno ou no turno seguinte. Em casos mais urgentes, o usuário é encaminhado para a UPA mais próxima. A orientação, portanto, é que o usuário procure o gerente ou o enfermeiro da unidade.

A SMS garantiu que em período de férias e tratamento do médico de uma USF, que são direitos de todo profissional, os usuários não ficam desassistidos. Em caso de ausência do médico, eles são encaminhados a outras unidades.

Em relação ao tratamento ruim, denunciado pela população, a SMS informou que, por meio do Programa Gerente Saúde, vem realizando capacitações com os profissionais que integram as equipes de saúde da família. A meta é que haja um atendimento cada vez mais humanizado para os usuários.

Ouvidoria setorial de saúde

O usuário pode também contribuir para melhoria da assistência relatando casos de mau atendimento na Ouvidoria setorial de saúde.

Telefone 160

E-mail: ouvidoriasaude@joaopessoa.pb.gov.br

Rede Municipal de Saúde – João Pessoa

Atualmente, a Rede Municipal de Saúde conta com 200 Equipes de Saúde da Família ativas e habilitadas pelo Ministério da Saúde. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, elas estão distribuídas em 100 prédios na grande João Pessoa, o que representa uma cobertura de saúde da família de 86%, uma das maiores entre as capitais do país. Alguns prédios abrigam três e até quatro equipes de saúde da família, são as unidades integradas.

Desde o início da gestão, em 2013, a rede de saúde recebeu o acréscimo de 18 novas equipes de saúde, beneficiando cerca de 54 mil pessoas que passaram a ser assistidas. Além das novas equipes, 29 USFs foram construídas, reformadas e/ou ampliadas na atenção básica.

Nas Unidades de Saúde da Família (USF) são realizadas consultas médicas, odontológicas e de enfermagem, oferecendo também o exame citológico e práticas integrativas e complementares, além de ações educativas e preventivas para os usuários, como também planejamento familiar. As USFs funcionam de segunda a sexta-feira, das 7h às 11h e das 12h às16h.

Relacionadas