segunda, 18 de janeiro de 2021

Saúde
Compartilhar:

Mais de cinco mil estão na fila para uma cirurgia eletiva

Aline Martins / 05 de dezembro de 2017
Foto: CHICO MARTINS
Na Paraíba, 5.496 cirurgias eletivas que deveriam ser realizadas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) estão pendentes. O levantamento, divulgado ontem pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), analisou os dados das Secretarias de Saúde repassadas ao Ministério da Saúde em junho deste ano. O estudo mostra que no Estado há casos de pessoas que aguardam pela cirurgia há mais de 4 anos, pois há indícios de registros antes mesmo de 2011. João Pessoa é o município que lidera na quantidade de pendências. As cirurgias do aparelho da visão, do sistema osteomuscular e do aparelho digestivo, órgãos anexos e parede abdominal lideram no ranking de procedimentos aguardados.

Das cirurgias do aparelho da visão, a de catarata tem destaque como o procedimento mais solicitado pela população e nesse tipo, a primeira pessoa a entrar na fila foi em 2014 e até a divulgação do levantamento ainda não havia feito a cirurgia.

A soma dos dados quantitativos é de 2013 a 2017. Essa é a primeira pesquisa do Conselho Federal de Medicina (CFM) desse nível. No entanto, nem todos os estados enviaram respostas, apenas 16 Estados e 10 capitais repassaram as informações.

Segundo o CFM, os pedidos sobre as filas foram apresentados em junho deste ano a todos os 26 estados e Distrito Federal, além das capitais, por meio do Sistema Eletrônico do Serviço de Informações ao Cidadão (e-SIC) dos governos estaduais e municipais – habitual caminho para que qualquer cidadão possa solicitar informações de caráter público via Lei de Acesso a Informações (Lei nº 12.527/2011).

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) informou, por meio da assessoria de imprensa, que desde junho desde ano, o Ministério da Saúde informou o quantitativo de cirurgias eletivas pendentes para serem realizadas na Paraíba. Por conta disso, as cirurgias começaram a ser realizadas. Até setembro, o número diminuiu e chegou a 2.903 procedimentos na fila. O Estado tem até 31 de dezembro para realizar os procedimentos, caso continue ainda fila de espera, as pessoas só farão no próximo ano.

A Secretaria Municipal de Saúde da capital informou que desde maio deste ano, a Portaria 1294/2017, publicada pelo Ministério da Saúde estabelece a estratégia da ampliação dos procedimentos cirúrgicos eletivos, em especial, as demandas reprimidas. Na Capital, segundo a pasta, todos os hospitais da rede municipal estão realizando as cirurgias com o acompanhamento do MS. Além disso, a SMS reforça que os hospitais da rede municipal estão capacitados a realizar procedimentos cirúrgicos de todas as complexidades.

Relacionadas