quinta, 15 de abril de 2021

Saúde
Compartilhar:

HULW confirma terceiro caso de malária na Paraíba

Redação / 12 de abril de 2019
Foto: Assuero Lima
Uma mulher de 40 anos foi confirmada como a terceira vítima diagnosticada com malária no Hospital Universitário Lauro Wanderley (HULW), em João Pessoa, nessa quinta-feira (12). Ela deu entrada na quarta-feira, dia 10, com os sintomas da doença que, através de exames rápidos, foi confirmada.

Segundo a assessoria do hospital, a paciente é de Jacumã, em Conde, e apresentava quadro de febre alta, dor de cabeça, suor frio, entre outros, há uma semana. O estado de saúde é considerado estável e ela deve passar por outros exames para que seja identificado o tipo de malária.

Outros casos. A primeira paciente diagnosticada com malária no início deste mês tinha 35 anos e recebeu alta no fim da tarde da terça-feira, dia 9, do HULW após tratamento. O caso foi o primeiro registrado no município de Conde, na Grande João Pessoa, e confirmado dia 2 de abril. Ela deu entrada no HULW no dia 29 de março com sintomas da doença.

O segundo caso registrado foi de um homem de 53 anos, que permanece internado no mesmo hospital. Ele deu entrada no HULW na última sexta-feira, dia 5, vindo do Trauminha, já com a doença confirmada. Segundo a assessoria, o estado de saúde dele também é considerado estável.

Combate à malária. A Secretaria de Estado da Saúde (SES) divulgou, na segunda-feira, dia 8, o calendário de intensificação das ações de combate à malária.

No âmbito estadual, a secretaria vem disponibilizando técnicos para a ação de busca ativa de novos casos, realizando capacitação dos profissionais de Conde para técnica do teste rápido e coleta de lâminas. Até o momento, segundo a gestão estadual, os resultados têm sido negativos.

Na cidade de Conde foi realizada busca ativa na casa onde moram os venezuelanos e todos os testes também deram negativo. As equipes da SES estão trabalhando em regime de plantão, nos fins de semanas, para oportunizar a detecção dos casos, por meio de equipes no território, e ainda está sendo feita ação, em nível estadual, pela Gerência Executiva de Vigilância em Saúde (Gevs), para esclarecimentos, regulação dos fluxos, nas suspeitas de novos casos.

Sintomas da doença. Os sintomas mais comuns são: calafrios, febre alta (no início contínua e depois com frequência de três em três dias), dores de cabeça e musculares, taquicardia, aumento do baço e, por vezes, delírios.

Relacionadas