terça, 11 de dezembro de 2018
Saúde
Compartilhar:

Hospital de JP tem vagas sobrando para tratar câncer

Rammom Monte / 09 de junho de 2016
Foto: Arquivo
Há oito meses, o Hospital São Vicente de Paulo, em João Pessoa, oferece o tratamento de quimioterapia para pacientes em tratamento de câncer. Porém, o serviço de oncologia no hospital é bem mais antigo e pouco conhecido pela população da capital. De acordo com a diretora administrativa do hospital, Sônia Delgado, há aproximadamente seis anos que o local oferece este tipo de serviço. Para ela, o desconhecimento das pessoas gera uma situação inusitada: vagas sobrando.

“Já é cultural em João Pessoa que o hospital de câncer é o Napoleão Laureano. Então muita gente desconhece que o São Vicente de Paulo tem um serviço de oncologia há mais de cinco anos e quimioterapia há oito meses. Nosso serviço de oncologia pode funcionar os três turnos e por enquanto só funciona um turno, por falta de demanda. Temos equipe médica e estrutura para atender 200 pacientes. Falta divulgação”, disse.

De acordo com Sônia, todas as vagas são oferecidas pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A diretora explica que 95% da verba do hospital é oriunda do SUS e é repassada pela Secretaria Municipal de Saúde de João Pessoa. Sônia explica que o serviço oferecido no São Vicente do Paulo é o mesmo do Napoleão Laureano, com exceção da radioterapia.

“O tratamento oncológico é o mesmo. A diferença é que o Laureano é especialista em tratamento de câncer, atende exclusivamente isto e o são Vicente é aberto, atende tudo, várias especialidades. O único tratamento que não oferecemos aqui é a radioterapia. Quando tem paciente de radioterapia, a gente encaminha para o Laureno”, explicou.

Para ela, a partir do momento em que a população tomar conhecimento do serviço oferecido, as vagas começarão a ser preenchidas.

“A principal causa para a baixa procura é a falta de divulgação. Acho que na hora que a população saber que tem este tipo de tratamento aqui, passará a ir, pois existe a demanda. E aqui no São Vicente é chegar e ser atendido”, finalizou.

Relacionadas