sábado, 20 de outubro de 2018
Saúde
Compartilhar:

Homem espera há nove anos por cirurgia para retirada de tumor

Lucilene Meireles / 29 de março de 2018
Foto: Assuero Lima
O pescador Adriano Fidélis da Silva, 29, que mora no município de Bayeux, Região Metropolitana de João Pessoa vive há nove anos uma verdadeira via-crúcis para conseguir uma cirurgia. O que era apenas um deslocamento involuntário no ombro, se agravou com o passar do tempo. Semana passada, foi diagnosticado um tumor que precisa ser retirado com urgência. O caso está na Justiça e a família relata que não sabe mais a quem recorrer.

“Descobri esse tumor na segunda-feira passada. Na terça, o braço quebrou do nada. Estou sofrendo com tanta dor e não tem quem me socorra”, lamentou. Existe, inclusive, o risco de amputação, se a intervenção não for feita. Adriano contou que, por conta do deslocamento do ombro, parou de trabalhar, mas até o benefício do INSS foi cortado e ele não tem condições de sustentar a esposa, que está desempregada, e as duas filhas de 13 e 5 anos. Segundo ele, o Ministério Público de Bayeux entrou na Justiça.

A mãe dele, Luciene do Nascimento Fidélis, relatou que o filho vive sob efeito de medicação para diminuir a dor. “Ele está prestes a amputar o braço. A Justiça pediu orçamento nos hospitais para poder fazer a cirurgia que é muito cara, custa quase R$ 30 mil”, lamentou. “A cirurgia deveria ter sido feita em 2009, quando o braço dele começou a deslocar sozinho. Desde então, buscamos a cirurgia. Já entramos pela justiça e vão empurrando com a barriga. Até que o problema se agravou tanto que agora está desse jeito”, acrescentou. Ainda segundo Luciene, após a fratura, o filho foi atendido no Hospital de Trauma de João Pessoa, mas o médico disse que só poderia operar quando fosse retirado o tumor.

A assessoria de imprensa da promotora de Saúde de Bayeux, Fabiana Lobo, informou que a Promotoria entrou com a execução do caso em fevereiro. A promotora pediu o bloqueio do valor total da cirurgia, incluindo profissionais e materiais que serão utilizados no procedimento. Conforme a assessoria, cabe à parte ir até o cartório e pedir para o juiz verificar o caso. A Prefeitura de Bayeux vai arcar com os custos da cirurgia.

O juiz titular da 4ª Vara Mista de Bayeux, Francisco Antunes Batista, disse que não existe nenhuma pendência seja de medicamento ou cirurgia.

 

Relacionadas