quinta, 26 de novembro de 2020

Saúde
Compartilhar:

HIV cresce 4.184% em 10 anos na Paraíba

Aline Martins / 01 de dezembro de 2018
Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil/Fotos Públicas
Entre 2008 e 2017, 3.815 casos de Aids foram notificados na Paraíba. Além disso, a quantidade de notificações por pelo vírus HIV também tem chamado a atenção das autoridades de saúde por conta do aumento nos últimos anos.

Em uma década, o crescimento no Estado chega a 4.184% (passando de 13 para 557 notificações). Hoje é o Dia Mundial da Luta contra a Aids e durante todo o ‘Dezembro Vermelho’ acontece a campanha de alerta contra a doença. A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) da capital está com uma programação.

Durante a campanha Dezembro Vermelho serão promovidas ações de conscientização sobre prevenção as infecções. Hoje, no Centro de Atendimento ao Turista (CAT), na orla de Tambaú, em João Pessoa, serão realizadas ações de prevenção e diagnóstico de IST/Aids e hepatites virais. Serão feitos testes para verificação das doenças e distribuição de preservativos. O dia 1º de dezembro é comemorado em vários países. Essa data foi instituída como forma de despertar a necessidade da prevenção, promover o entendimento sobre a pandemia e incentivar a análise sobre a Aids pela sociedade e órgãos públicos. No Brasil, a data começou a ser comemorada no final dos anos 80, envolvendo os governos federal, estaduais e municipais e organizações sociais.

O mês de dezembro é um mês de conscientização da população sobre a prevenção à Aids considerando que diversas pessoas continuam não utilizando o preservativo nas relações sexuais. Pesquisas apontam que 50% da população não usa camisinha nas relações ocasionais. De acordo com Clarisse Pires, chefe da Seção de ISTs, Aids e Hepatites Virais da SMS, é necessário alertar a população sobre as doenças e também onde encontrar atendimento caso precise. Outra preocupação segundo ela, é em relação ao HPV, que é transmitido pelas relações sexuais, e que tem representado 60% dos registros de atendimentos na rede básica de saúde. Em número da doença, informou que o Ministério da Saúde não contabiliza, o que dificulta a real situação dos casos notificados. “Ele é responsável por 90% dos cânceres uterinos, boca, garganta/boca e ânus. O uso da camisinha é o principal método de prevenção”, frisou.

As pessoas podem encontrar o serviço de testagem rápida para HIV/Aids e outras doenças sexualmente transmissíveis como sífilis, e hepatites B e C no Centro de Testagem e Aconselhamento (SAE/CTA), que fica no Centro de Atenção Integral à Saúde (Cais) de Jaguaribe. No Centro, antes de realizar o exame, o paciente é avaliado e recebe informações sobre a importância para medidas preventivas das doenças sexualmente transmissíveis. Em seguida, é coletada uma amostra sanguínea do paciente. O resultado do exame sai em 30 minutos.

Relacionadas