quinta, 18 de julho de 2019
Saúde
Compartilhar:

Faltam segurança e médico em UPA da Capital

Redação / 30 de abril de 2019
Foto: Secom-JP
Médicos da Unidade de Pronto Atendimento de Cruz das Armas, em João Pessoa, denunciaram ao Conselho Regional de Medicina (CRM-PB) a falta de segurança para os profissionais e pacientes no estabelecimento. Em fiscalização no local, o órgão ainda identificou que a escala médica da UPA está incompleta. A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) foi notificada e recebeu um prazo para regularizar as duas situações.

As condições de trabalho em situação de risco foram repassadas pelos médicos da UPA Cruz das Armas durante uma reunião, realizada na última quinta-feira, no CRM. “Os médicos disseram que a UPA conta apenas com seguranças do patrimônio. É preciso que haja segurança para as pessoas que chegam para trabalhar, assim como para os pacientes, mesmo que seja uma segurança privada”, destacou o diretor de fiscalização do CRM-PB, João Alberto Pessoa.

O órgão concedeu um prazo de dez dias para que a SMS providencie a segurança necessária para que os profissionais possam trabalhar com tranquilidade. Já a escala médica deve ser regularizada em até 21 dias. “Médicos relataram que, por muitas vezes, atendem até 100 pacientes em um mesmo dia, por falta de outros profissionais. Infelizmente, isso não pode acontecer. É preciso que haja uma quantidade adequada de médicos para atender a população de forma segura”, disse João Alberto.

Por meio da assessoria de comunicação, a SMS informou que a escala médica da UPA Augusto Almeida Filho, em Cruz das Armas, atende aos critérios do Ministério da Saúde (MS) para unidades de pronto atendimento de porte 2, como é o caso do estabelecimento. A SMS lembrou que, segundo o Ministério, é necessário a presença de dois médicos clínicos gerais e um pediatra por plantão para unidades deste porte, sendo que a UPA de Cruz das Armas funciona com quatro médicos clínicos gerais e dois pediatras por plantão.

No entanto, a Secretaria informou que para atender à notificação do Conselho Regional de Medicina (CRM), serão contratados, excepcionalmente, mais médicos pediatras, tendo em vista que todos os pediatras aprovados no concurso público realizado ano passado já foram convocados.

Já com relação à segurança dos profissionais e pacientes, a SMS informou que serão tomadas as providências necessárias.

Relacionadas