sexta, 18 de setembro de 2020

Saúde
Compartilhar:

Falta vitamina D na cidade onde o sol nasce primeiro

Lílian Moraes / 16 de janeiro de 2017
Foto: Rafael Passos/Arquivo
 

Nos últimos anos temos assistido uma progressão da falta de vitamina D entre pacientes em todo o Brasil e no mundo. Dados da Organização Mundial de Saúde ( OMS ) apontam que mais de dois bilhões de pessoas têm deficiências destes micronutrientes no organismo. A falta da vitamina D pode levar a várias doenças como depressão, fraqueza muscular, osteoporose, maior incidência de alguns tipos de câncer (como o colorretal e o de mama), asma grave em crianças, depressão e prejuízo cognitivo em idades avançadas, infecções, doenças autoimunes, maior risco de morte por doenças cardiovasculares, hipertensão, doença periodontal, dor crônica e osteoporose em mulheres pós-menopausa. E o mais curioso é que os médicos têm notado que em João Pessoa, cidade onde o sol nasce primeiro, as pessoas têm apresentado muitos problemas de saúde por falta da vitamina D.

A vitamina D faz parte do grupo das vitaminas lipossolúveis e é derivada do colesterol. Existem duas formas na natureza, o colecalciferol ou vitamina D2, que tem origem animal e o ergocalciferol ou vitamina D3, que vem de fontes vegetais. No organismo humano, ambas são metabolizadas no fígado e rins até o calcitriol, que é a sua forma ativa.

A vitamina D exerce sua função através da ligação a receptores específicos nos núcleos das células alvo. Essa interação gera uma modificação nas proteínas produzidas por essas células cujo resultado será a ação daquela célula sobre algum aspecto relacionado ao cálcio.

Parâmetros da vitamina

De acordo com a dermatologista Carla Gayoso para descobrir a deficiência em Vitamina D só pode através de exames específicos, feitos em laboratório. “Mas existe hoje uma discussão pungente dos parâmetros atuais – principalmente em países com altos níveis de radiação solar, como o nosso”, explica a médica  que não entende o crescimento de deficiência da vitamina entre os brasileiros.

“Nos congressos de Dermatologia, os profissionais sempre discutem a possibilidade de novos exames para detecção da vitamina D, talvez com parâmetros diferentes do que seja considerado uma insuficiência real, para nosso organismo”, afirma a médica Carla Gayoso.

De acordo com a médica dermatologista Carla Gayoso, se a pessoa toma sol suficiente precisa da vitamina D (sintética) não precisa de suplementação com  vitamina D. “A não ser em casos específicos, como osteoporose, doença de Crohn, entre outras”, explica a especialista.

“É no mínimo estranha, a frequência tão elevada de insuficiência de Vitamina D que vemos detectadas na população em geral. E não é pelo hábito de uso de filtros solares. Pesquisa recente mostrou q mais de 63% dos brasileiros não usam filtro solar no seu dia a dia. Não que estes testes sejam mal feitos – na verdade são os parâmetros que devem ser rediscutidos”, observa a médica.

Conhecida também como calciferol, a vitamina D estimula a absorção do cálcio pelo organismo após a exposição solar. Sem ela o organismo não consegue absorver o cálcio de maneira adequada e os ossos se tornam frágeis. Esse nutriente é encontrado em poucos alimentos, como fígado, óleos de peixes gordurosos e gema de ovo e ainda está relacionado ao bom funcionamento do coração, cérebro e proteção contra diversas doenças, entre elas o câncer, asma, diabetes, esclerose múltipla, e, até mesmo a depressão.

Sintomas

“Nos tempos de menino, tomar óleo de fígado de bacalhau era um verdadeiro tormento. Meus irmãos também sofriam na hora em que mamãe nos obrigava a tomar aquele remédio ‘horroroso’. Hoje sabemos que o fígado de bacalhau é o alimento que detém a maior concentração de vitamina D. Acredito que ainda hoje exista aquele medicamento que tinha gravado no frasco um homem carregando nas costas um enorme bacalhau que me  traz a memória aquele momento que eu considerava sacrificante, mas de uma importância impar: estávamos tomando vitamina D que é considerada hoje de extrema importância para nossa economia salutar não somente para os ossos, mas também para fortalecer o combate a infecções, complicações cardiovasculares e muitas  doenças crônicas”, conta o médico Joaquim Martins.

De acordo com Joaquim Martins, estudos científicos têm mostrado que a falta da vitamina D ocorre com muito mais frequência em países que têm durante o ano muitos meses escuros, e frios, sem luz solar. “Parece estar existindo ultimamente uma verdadeira epidemia de avitaminose D. Recebo com muita frequência exames de laboratório com dosagem da vitamina D muito abaixo dos níveis considerados normais. Avitaminose ou laboratoriopatia? A exposição a luz solar faz a conversão de um precursor da vitamina D  existente na pele, em vitamina D que é incorporada ao organismo. Podemos concluir que o melhor tratamento da avitaminose D é a exposição a luz solar sempre sob orientação médica”, explica o médico.



“Os alimentos são geralmente pobres em vitamina D exceto o fígado de bacalhau. Mas a sardinha, os cogumelos, ovos e suco de frutas são fontes de vitamina D infelizmente em pequena proporção. Em países árabes, na Índia e em alguns outros nos quais a população vive com o corpo coberto tem grande índice de avitaminose D. Fraturas e osteoporose tão comuns em pessoas idosas, são indícios de pouco vitamina D. Nosso sistema imunológico possuem receptores da vitamina D e sua falta pode prejudicar a sua função extremamente necessária na homeostasia corporal.  Pessoas com pele escura sintetizam pouco a vitamina D e estão sujeitas as sequelas da avitaminose cujo diagnostico pode ser feito pela anamnese, hábitos de vida e dosagem da vitamina em laboratório”, ensina o especialista.

Os sintomas relacionados a falta de vitamina D incluem fraqueza muscular e dor nos ossos e podem ser bastante sutis. No entanto, as consequências a longo prazo podem ser graves. A falta de vitamina D pode levar à falta de cálcio, que por sua vez prejudica a formação dos ossos causando raquitismo em crianças e osteomalácia em adultos. O raquitismo é caracterizado pela baixa mineralização dos ossos, em que a crianças tem seu crescimento e desenvolvimento afetados. A osteomalácia leva a ossos fracos, sensíveis à pressão e com maior chance de fraturas.

Funções e importância da vitamina D

A principal função da vitamina D é facilitar a absorção do cálcio, diminuindo o risco de doenças ósseas e cardíacas. Por isso, ter boas quantidade de vitamina D no sangue é de suma importância para a saúde.

Relacionadas