sexta, 27 de novembro de 2020

Saúde
Compartilhar:

Sobem para 96 os municípios com casos de microcefalia

Rammom Monte / 29 de dezembro de 2015
Foto: Chico Martins
Em apenas uma semana, subiu em 34% o número de municípios com casos suspeitos de microcefalia no Estado da Paraíba. No Boletim Epidemiológico divulgado na semana passada, o Ministério da Saúde computou 72 cidades. Já no levantamento desta terça-feira (29) esse dado foi para 96, o que representa 43% dos municípios paraibanos (223). Ao todo já são 476 casos suspeitos de microcefalia.

LEIA MAIS: Paraíba tem cinco casos suspeitos de mortes relacionados à microcefalia

Assim como no levantamento da semana passada, o boletim desta semana trata da suspeita de cinco óbitos relacionados à microcefalia na Paraíba. Destas suspeitas, quatro são infantis e uma fetal, cujas mães são residentes dos municípios de Piancó (um), Conde (um) e João Pessoa (três). Após a conclusão da investigação, um óbito infantil foi descartado - os achados não eram compatíveis com malformação congênita de origem infecciosa. Os demais estão em investigação.

LEIA MAIS: Sequelas do vírus da zika vão além da microcefalia

A Paraíba continua como o segundo Estado do país em números de casos de microcefalia, ficando atrás apenas de Pernambuco, que registrou 1.153 casos suspeitos. No país, até o momento, foram notificados 2.975 casos suspeitos da doença em recém-nascidos de 656 municípios de 20 unidades da federação. Também estão sendo investigados 40 óbitos suspeitos de microcefalia relacionados ao vírus Zika.

LEIA MAIS: Microcefalia: o que é a anomalia que colocou o Nordeste em estado de emergência em saúde

Os números de casos de microcefalia registrados este ano são muito maiores dos registrados nos anos anteriores. De 2010 a 2014, a Paraíba registrou apenas 21 casos de microcefalia em todo o estado.

Os serviços de referência no tratamento dos casos de alto risco são: Maternidade Cândida Vargas, Maternidade Frei Damião e Hospital Universitário Lauro Wanderley (em João Pessoa), Maternidade Peregrino Filho (em Patos) e o Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (Isea, em Campina Grande).

Para outros esclarecimentos, deve-se entrar em contato com o Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS), por meio do seguinte endereço eletrônico: cievs.pb@gmail.com ou pelo telefone: 0800-281-0023.

Relacionadas