sábado, 19 de outubro de 2019
Saúde
Compartilhar:

Conselho Regional notifica o HU por falta de médicos

Beto Pessoa / 29 de março de 2019
Foto: Assuero Lima
A ala de Neonatologia do Hospital Universitário Lauro Wanderley (HU), que atende bebês recém-nascidos, está operando no limite de profissionais. Seis médicas que atendem no setor estão de licença maternidade e o plantão está sendo realizado por apenas dois pediatras. Devido a sobrecarga, o Conselho Regional de Medicina (CRM-PB) notificou a direção do hospital para que providências sejam tomadas. O órgão também acionou o Ministério Público Federal (MPF).

Em média são seis partos realizados por dia no hospital. Todos os dias da semana. Este cenário reforça a necessidade de estabilidade do quadro de médicos do setor, tendo em vista que a Neonatologia atende crianças que tiveram alguma complicação e precisam de tratamento.

Diante disso, o CRM-PB solicitou nessa quinta-feira (28) que a direção técnica do HULW encaminhe ao Conselho a escala de médicos para o final de semana. “É humanamente impossível um médico atender sozinho a todas estas áreas. É um absurdo que precisa ser corrigido imediatamente para que o atendimento da população não seja comprometido”, ressaltou o diretor de Fiscalização do CRM-PB, João Alberto Pessoa.

O gerente de Ensino e Pesquisa do HULW, Ângelo Melo, confirmou que existe um deficit de profissionais na Neonatologia do hospital. Ele disse que em maio o hospital recebeu novos pediatras para o setor. Boa parte destes médicos são mulheres e estão de licença maternidade, apertando o quadro de pediatras disponíveis.

“Na verdade está acontecendo isso mesmo, nós estamos fazendo tudo para não ter prejuízo para escala. Mas é preciso relatar o que está acontecendo. Os novos profissionais da Neonatologia são quase todas mulheres e boa parte está de licença maternidade. Desde maio estamos solicitando a EBSERH novos profissionais, mas eles negaram. Tentamos corrigir essa realidade duplicando a carga horária de profissionais, pagando hora extra, mas a situação só resolve quando contratarmos mais profissionais ou as que estão de licença retornarem”, disse.

Apenas dois profissionais estão no plantão da Neonatologia do hospital. Um deles entrou com atestado de saúde, o que deixou a segunda médica assustada em ter que dar o plantão de 24 horas sozinha. Ela buscou o CRM denunciando a situação, o que levou o Conselho a ir até o hospital constatar a situação.

“A gente consegue fechar a escala com dois profissionais, mas se aparece uma situação excepcional, como esta em que o colega da médica entrou com atestado médico, acontece isso. O CRM se comprometeu a ajudar enviando um ofício a EBSERH solicitando novos profissionais. Porque hoje se alguém entrar de atestado, adoecer, a escala fica nesta situação de apenas um médico”, disse Ângelo Melo.

Como o quadro de médico está deficitário, os dois médicos que hoje dão plantão na Neonatologia estão trabalhando sobrecarregados, uma vez que o período de descanso deles é menor. “No plantão normal são dois médicos. Se tivesse mas profissionais ele teria descanso, porque normalmente ele só dá plantão de três a quatro dias. Como não tem médico se precisa chamar o mesmo profissional”, explicou o representante do HULW.

Para contratar novos médicos é necessária a realização de concurso público via EBSERH, que é a responsável pela gestão do hospital. A empresa, porém, precisa de autorização do Governo Federal, através do Ministério da Economia, que até o momento negou os pedidos, segundo a direção do HULW.

Relacionadas