domingo, 09 de maio de 2021

Saúde
Compartilhar:

Conselho de Medicina alerta para falta de estrutura em hospitais

Lucilene Meireles / 26 de outubro de 2018
Foto: Reprodução
“Tem hospitais aqui que deveriam estar fechados, mas não temos como fechar, porque o prejuízo para a população seria maior. Faltam profissionais, segurança, material, higiene, equipamento adequado, pessoal. Falta de tudo, mas não podemos interditar os médicos porque o prejuízo à população seria bem maior”. A afirmação é do diretor de Fiscalização do Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB), João Alberto Pessoa, se referindo aos hospitais do Estado.

Ele não citou os nomes dos hospitais, mas afirmou que são públicos e garantiu, inclusive, que o Ministério Público da Paraíba (MPPB) está ciente da situação. “Nesses casos, o CRM não tem o que fazer, apenas o Ministério Público, que tem conhecimento, e os gestores. É uma questão de querer resolver. O CRM não tem autonomia de fechar”, esclareceu.

Um exemplo da situação em que se encontram os hospitais foi registrado na última quarta-feira (24), quando o CRM interditou eticamente uma médica obstetra do Hospital Regional de Guarabira que iria atuar sozinha no plantão do próximo domingo (28). O motivo foi a falta de uma escala médica completa para atender a demanda que pudesse surgir no dia, já que uma profissional sozinha não teria condições de atender.

O diretor de Fiscalização disse que, como não haveria plantão na Obstetrícia neste domingo, a paciente que precisar de atendimento teria que procurar outro hospital. “Optamos, no CRM, por interditar a médica, colocando que, se porventura, outro obstetra comparecer, ela estaria liberada para atender”, disse. Após a interdição foi que a Secretaria de Estado da Saúde (SES) providenciou outro médico para o plantão e os hospital teve o atendimento normalizado.

Sem resposta

A reportagem procurou a Secretaria de Estado da Saúde (SES) para falar sobre a falta de médicos na rede hospitalar mantida pelo Governo do Estado, mas não obteve retorno até o fechamento desta edição. A assessoria de imprensa informou que a demanda foi repassada para a secretária Cláudia Veras, mas ela esteve com agenda externa durante o dia e não pôde responder.

Relacionadas