quinta, 14 de novembro de 2019
Saúde
Compartilhar:

Fila de espera para tratar Ceratocone na Paraíba tem 321 pacientes

Lucilene Meireles / 12 de junho de 2019
Foto: Assuero Lima
Uma em cada duas mil pessoas no mundo tem ceratocone, doença da córnea diretamente relacionada a um hábito comum: coçar os olhos. Para chamar a atenção da população e informar sobre os riscos dessa prática, entidades oftalmológicas do Brasil estão apoiando a campanha internacional Violet June, lançada pela Keratoconus Awareness Campaign e que teve início dia 1º de junho. A ação alerta para o mal que é de difícil diagnóstico e pode comprometer seriamente a visão. A Secretaria de Estado da Saúde (SES) informou que, até maio, a fila de espera para córnea na Paraíba tinha 321 pacientes.

“O ato de coçar os olhos prejudica a visão, mas a má informação traz prejuízos ainda maiores. Por isso, foi lançada a campanha mundial”, frisou o oftalmologista Renato Ambrósio Júnior, membro titular da Sociedade Brasileira de Oftalmologia (SBO). Ele lembrou que outras entidades também estão apoiando a campanha, a exemplo do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO).

A doença, conforme o especialista, aumenta a curvatura da córnea de forma irregular, deixando-a com formato de cone e causando astigmatismo. A condição leva à distorção das imagens e limita a eficiência das lentes dos óculos. O problema, geralmente, não causa cegueira, mas pode levar a uma acentuada perda de visão.

O ceratocone ocorre por perda da rigidez do estroma da córnea e é progressivo, acometendo os dois olhos. O problema começa na adolescência e afeta mais mulheres do que homens. A evolução se dá até os 35 anos. Nesta fase, ocorre uma estabilização natural. Pode ser diagnosticado em fase inicial nos pacientes que não têm sintomas.

Fatores genéticos. Não há uma forma de prevenir o ceratocone. De acordo com a SBO, o surgimento da doença está associado a fatores hereditários e genéticos. No entanto, ainda não existem testes genéticos para diagnóstico da doença.

O oftalmologista Renato Ambrósio Júnior ressaltou que a progressão da doença está relaci onada ao trauma contínuo, ou seja, o hábito de coçar os olhos deve ser evitado, pois é o fator de risco mais bem definido para o aparecimento ou agravamento da doença.

O diagnóstico do ceratocone é feito a partir do exame oftalmológico completo e exames complementares para caracterização da córnea. A descoberta precoce da doença permite realizar o tratamento que, conforme a Sociedade Brasileira de Oftalmologia (SBO), é feito de acordo com o estágio do ceratocone.

Ao tratar, é preciso observar o grau de irregularidade e as características específicas de cada paciente. A orientação é que seja tratada também a alergia ocular que pode estar associada.

De acordo com a SBO, na fase inicial, o uso de óculos pode ajudar no restabelecimento da visão. Porém, em quadros mais avançados, eles não são eficientes por causa da irregularidade, sendo mais indicadas lentes de contato especiais.

Nos casos em que as lentes não conseguem permitir visão satisfatória, os profissionais acabam recorrendo à cirurgia, indicada para melhorar a visão, permitir a reabilitação visual e estabilizar a evolução da doença.

Última alternativa. Quando nenhum dos tratamentos anteriores funciona, pode ser necessário o transplante de córnea, o que exige a espera em uma fila de pacientes. O procedimento é realizado em clínicas autorizadas pelo Ministério da Saúde, em João Pessoa, Campina Grande e Sousa.

As cirurgias são realizadas pelos médicos transplantadores, que também são autorizados pelo MS. A maioria dos procedimentos é realizada pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

46 é o número de transplantes de córnea realizados na Paraíba de janeiro a maio de 2019, de acordo com a SES.

Sintomas:

Embaçamento

Distorção da visão

Miopia

Astigmatismo

Coceira frequente

Hábitos que ajudam a prevenir doenças na visão:

-Cuidado com o sol Usar óculos de sol reduz a exposição dos olhos aos efeitos nocivos da radiação ultravioleta.

-Cuidado com a exposição excessiva às telas de TV, computador e smartphone Ficar muito tempo em frente às telas pode causar ressecamento dos olhos, cansaço visual e distúrbios do sono.

-Evite coçar os olhos Pode causar irritações, lesões oculares ou até problema na córnea. Em clima seco, hidrate os olhos com colírios lubrificantes.

-Cuidado com o uso excessivo de colírios Automedicação deve ser evitada. Corticoides são preocupantes pelo risco de induzirem ao glaucoma e à catarata.

-Tenha uma alimentação balanceada Uma alimentação rica e diversificada, incluindo vegetais de cor verde escura e legumes, peixes e sementes, fornece vitaminas benéficas para o funcionamento da retina.

-Procure ajuda médica O diagnóstico precoce evita complicações. Realize consultas regulares para avaliar a qualidade da visão.

 

 

 

Relacionadas