sábado, 23 de janeiro de 2021

Saúde
Compartilhar:

Casos de conjuntivite aumentam mais de 50% no mês de março

Lucilene Meireles / 23 de março de 2018
Foto: ASSUERO LIMA
O mês ainda nem terminou, mas em março, o número de casos de conjuntivite em João Pessoa representa mais de 50% de todos os registrados este ano na Capital. Vermelhidão, sensação de areia nos olhos, lacrimejamento são os sintomas mais comuns da doença que costuma afetar um número maior de pessoas nesse período do ano. Na Capital, foram mais de 400 casos até agora, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), e os números não correspondem à realidade, já que a infecção não é uma doença de notificação compulsória.

O operador de áudio Gerailton Batista desconfiou que se tratava da doença quando os olhos começaram a ficar vermelhos. “Além disso, incharam e fiquei com a impressão de que tinha areia. Logo depois, começaram a lacrimejar. São sintomas que incomodam bastante”, relatou. Ele está em tratamento há uma semana, utilizando colírio prescrito por um médico e lavando os olhos com soro. A doença pode durar até 15 dias, mas com esses cuidados, o incômodo está diminuindo.

“A conjuntivite é comum nesse período. A viral, que é a que fazemos acompanhamento, e outras que não são de interesse epidemiológico, porque não afetam a saúde pública. Vale lembrar que os cuidados com a higiene são importantes para evitar o contágio”, ressaltou a chefe do Núcleo de Doenças Transmissíveis Agudas da Secretaria de Estado da Saúde (SES-PB), Anna Stella Pachá.

A oftalmologista Astrid Vasconcelos explicou que o período de transição de estação, quando chega o verão ou quando ele termina, há uma mudança de umidade na atmosfera. “Essa mudança predispõe ao surgimento das viroses e começam as doenças como conjuntivite, gripe, diarreia, gastroenterite”, observou.

De acordo com a especialista, a conjuntivite pode ser viral, bacteriana e alérgica. “Trata-se de uma inflamação na conjuntiva, que é a camada que reveste o olho, causando hiperemia, aumento na produção de secreção, lacrimejamento, secreção, ardência, prurido. No caso da bacteriana, a secreção é mais amarela”, esclareceu.

Viral pega mais. A transmissão da doença ocorre com mais facilidade quando a infecção é viral, podendo haver contágio com um aperto de mãos ou uma gotícula de saliva no ar. Já na conjuntivite bacteriana, a transmissão só ocorre pelo contato com secreções do paciente contaminado.

Relacionadas