sábado, 05 de dezembro de 2020

Saúde
Compartilhar:

Capital intensifica campanha de vacinação contra HPV

Wênia Bandeira / 21 de março de 2019
Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil
João Pessoa deu início à campanha de intensificação da vacina contra HPV nas escolas públicas e privadas. Em Campina Grande, a vacinação nas instituições de ensino está marcada para acontecer entre os dias 8 a 12 de abril. O HPV é o principal causador de câncer de colo de útero e de pênis.

Na Capital, dez mil doses foram disponibilizadas esse mês para mais de 100 salas de vacina. O chefe da Seção de Imunização da Secretaria Municipal de Saúde, Fernando Virgolino, informou que ainda tem estoque para abastecer, caso os locais solicitem nesse período.

“Nós temos doses disponíveis o ano inteiro nas unidades de família, por isso a campanha é de intensificação da vacina, levando em consideração a baixa procura durante o ano”, explicou Fernando Virgolino. Em 2018, a meta era 80% do público-alvo, mas não foi atingida. Ele falou que algumas exigências acabam diminuindo a capacidade de imunização. “É preciso que os pais ou responsáveis autorizem e isso muitas vezes não acontece. Além disso, precisa ter o cartão de vacinação e muitos adolescentes não têm”, acrescentou.

O termo de autorização já foi distribuído entre os estudantes que precisavam levar até os pais para assinatura. Algumas escolas que não estão dentro da rede de alcance da prefeitura não estão na lista, mas os gestores podem procurar a SES e solicitar o envio da equipe, até mesmo fora do prazo da campanha.

A campanha segue até o dia 5 de abril. Durante todo o ano, a população entre 9 a 14 anos a ser vacinada em João Pessoa é de 28.519 pessoas. Para esta faixa etária, além das doses contra HPV, estão disponíveis vacinas pneumocócica, difteria e tétano, hepatite B, além da tríplice viral, que previne contra sarampo, caxumba e rubéola.

“Quem não sabe se foi vacinado na infância deve tomar todas as doses necessárias para cada uma. Estas vacinas são com vírus inativo ou atenuado, então não faz a pessoa desenvolvida a doença se exposto acima do necessário”, disse.

A vacina confere proteção contra quatro subtipos do vírus HPV (6, 11, 16 e 18), com 98% de eficácia para quem segue corretamente o esquema vacinal. O papilomavírus humano, o HPV, possui diversos subtipos capazes de infectar a pele ou as mucosas do trato ano-genital e que podem ocasionar o câncer de colo de útero, o terceiro tumor mais frequente na população feminina – atrás do câncer de mama e do colorretal – e a quarta principal causa de morte de mulheres por câncer no Brasil.

Relacionadas