terça, 19 de janeiro de 2021

Saúde
Compartilhar:

Campanha de vacinação contra a influenza começa nesta segunda e vai até 26 de maio

Bruna Vieira / 14 de abril de 2017
Foto: Nalva Figueiredo
A Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza começará na próxima segunda-feira e seguirá até o dia 26 de maio. Este ano, o público-alvo será ampliado, englobando os professores da rede pública e privada. O objetivo é vacinar 90% dos 54,2 milhões de brasileiros dos grupos indicados. Para o Ministério da Saúde, a imunização reduzirá as internações, complicações e mortes causadas por infecções decorrentes da gripe.

A coordenadora do Programa nacional de Imunizações do Ministério da Saúde, Carla Domingues, destacou as mudanças neste ano. “A cepa é diferente do ano passado. E incluiremos 2,3 milhões de professores. Os demais grupos se mantêm, idosos, crianças de seis meses a cinco anos, gestantes, puérperas até 45 dias do pós-parto, indígenas, pessoas privadas de liberdade (inclusive jovens em medida socioeducativa), trabalhadores de saúde e a lista de comorbidades de todos os anos. É importante manter a adesão Em 2015, vacinamos 87%, superamos a meta de 80%. Esse ano, a meta é 90%. Ano passado, atingimos 91%”, informou.

Segundo Carla, a vacina poderá reduzir as hospitalizações por pneumonia em até 45% e a mortalidade por complicações por influenza em 75%. “A vacina tem efetividade de um ano. O objetivo é começar o inverno com toda a população-alvo vacinada. Serão 6 milhões de doses a mais, um aumento de 11%. Ano passado a cobertura foi de 49,7 milhões. Não recebemos tudo de uma vez, é escalonada e imediatamente distribuída aos estados. Se faltar em alguma unidade, pode ser porque lá há mais procura, uma questão de logística. Não significa um desabastecimento no município, Estado ou MS. Nas áreas de difícil acesso, teremos barco, helicóptero e avião”, afirmou.

Vírus inativo. A coordenadora ressaltou que a vacina é feita com vírus inativo e não causa risco de aquisição da doença. “A vacina é segura, com vírus morto. Não é possível desenvolver a gripe porque tomou a vacina. Quando há grande circulação, a pessoa toma vacina, mas, já teve contato com o vírus, não houve tempo de proteger. Ela é feita com os três principais em circulação, mas, a pessoa pode se contaminar com outro tipo que não está na vacina. A população muitas vezes só busca quando tem elevado número de casos. O importante é que todos os grupos busquem a vacina dentro do prazo preconizado. Desde 2009, a maior incidência foi ano passado, houve uma antecipação dos casos em janeiro. Foram 12 mil casos e 2.200 óbitos. Esse ano, as ocorrências estão dentro da sazonalidade, com 276 casos e 48 óbitos”, justificou Carla.

Vacina na escola. O ministro da Saúde, Ricardo Barros, declarou que os professores receberão a dose da vacina nas escolas.

“Nos dias 2 e 3 de maio nas unidades públicas e privadas. A definição da cepa acontece no fim de ano. Quanto mais cedo vacinar melhor, se pudermos adiantar, nos próximos anos, adiantaremos”, apontou.

A contaminação ocorre pelas vias respiratórias, fala, tosse, espirro, contato com objetos infectados e através das mãos. Lavar as mãos com frequência, cobrir o nariz e a boca ao tossir e espirrar e não compartilhar objetos de uso pessoal ajudam a evitar transmissão. A primeira remessa de 21,1 milhões de doses (35%) já foram enviadas aos estados. Até a próxima quarta-feira cinco lotes serão enviados, totalizando 60 milhões (100%). Podem ocorrer reações adversas de forma rara, com dor, eritema e enrijecimento.

Relacionadas