quarta, 25 de novembro de 2020

Saúde
Compartilhar:

Além do diagnóstico precoce, comer bem é fundamental para o tratamento do câncer

Aline Martins / 17 de outubro de 2017
Foto: Divulgação
Durante o tratamento do câncer, os pacientes ficam mais debilitados. A quimioterapia, radioterapia ou hormonioterapia provocam alguns efeitos colaterais que interferem até na nutrição dos pacientes, alguns ficam enjoados, sem apetite e às vezes são acometidos por doenças decorrentes da baixa imunidade como resfriados e gripes. De forma geral, especialista em alimentação destaca quais os alimentos devem ser ingeridos e o que deve ser feito em algumas situações. Quem está em tratamento precisa seguir uma série de recomendações médicas. O câncer é definido como uma enfermidade crônica que pode ter diferentes causas.

Segundo a nutricionista Josilene Venâncio da Silva, que coordena a área de nutrição do Hospital Napoleão Laureano (HNL) – referência no tratamento do câncer – essa doença se caracteriza pelo aumento de células anormais que tem a facilidade de crescer mais rápido quando não é controlada. Tanto a localização quanto a agressividade do tumor implica nas condições do paciente, o que pode comprometer a questão nutricional do paciente.

Da mesma forma que o diagnóstico precoce da doença é importante, a intervenção nutricional adequada também para se obter uma qualidade de vida positiva. De acordo com a nutricionista, qualquer perda de peso, mesmo que seja pouca, é importante e deve ser valorizada. Uma atenção na alimentação melhora o estado funcional, ou seja, a capacidade da pessoa de se locomover e fazer as atividades diárias, combate à caquexia (consumo acelerado dos tecidos do organismo), melhora ainda a tolerância à cirurgia e há menos interrupções na quimioterapia e radioterapia. Josilene Venâncio destaca a necessidade de ter uma dieta saudável e equilibrada elaborada por um especialista.

Perda de peso. Ainda de acordo com a nutricionista, a desnutrição chega a ser considerada um diagnóstico secundário em pacientes oncológicos. A perda de peso pode estar associada a diversos fatores como dificuldade em se alimentar, vômitos e náuseas, reação adversa a medicamentos, por exemplo. “As intervenções nutricionais ajudam no controle dos sintomas visando promover uma manutenção no estado nutricional, preservando o peso e a composição corporal do paciente”, afirmou, destacando também a necessidade do uso de suplementos nutricionais orais, mas só quando há comprometimento na ingestão calórica.

Uma dica da nutricionista é a ingestão de vários alimentos diferentes diariamente. Frutas vermelhas, verduras cruas ou cozidas, frutas e sucos de frutas são fontes de algumas vitaminas (como A e C) e de sais minerais necessários ao organismo.

Já os alimentos protéicos contêm proteínas que contribuem para a regeneração do organismo e o combate às infecções. Carnes em geral, peixes, aves, ovos, leite, iogurte e queijo fornecem não só proteínas, mas também diversas vitaminas e sais minerais.

Os cereais, tanto in natura quanto os presentes no pão, nas massas e arroz, contribuem com vários carboidratos e vitamina B. Os carboidratos são uma ótima fonte de energia, sendo necessários para que o organismo funcione bem. Já os laticínios: o leite e seus derivados fornecem proteínas e muitas vitaminas, constituindo a melhor fonte de cálcio.

Leia Mais

Relacionadas