quinta, 03 de dezembro de 2020

Saúde
Compartilhar:

56 municípios da Paraíba no foco da microcefalia

Nice Almeida / 09 de dezembro de 2015
Foto: Nice Almeida
Cinquenta e seis municípios paraibanos já estão na lista das localidades com notificações de casos suspeitos de microcefalia. A região Metropolitana de João Pessoa concentra 75% dessas notificações, sendo que a Capital tem 136 casos registrados, de acordo com Boletim Epidemiológico divulgado nesta quarta-feira (09) pela Secretaria Estadual de Saúde (SES).

O Conde segue com 13 casos, Alhandra e Sapé com 12 cada, Bayeux com 10, Pitimbu com nove e Caaporã e Pedras de Fogo, com oito cada. Cabedelo e Santa Rita têm seis casos notificados, Rio Tinto quatro casos e Lucena, um.

"A maioria das notificações foi realizada baseada, apenas, na medida do perímetro cefálico igual ou inferior a 33 centímetros, independentemente da mão relatar ou não os sinais ou sintomas de doenças infecciosas durante a gravidez e de exames complementares. Portanto, trata-se de uma triagem de crianças nascidas a partir de 1º de agosto, que se enquadram na definição de caso suspeito, a fim de possibilitar o desencadeamento da investigação e, com isso, concluir o diagnóstico final de confirmação ou descarte de malformação congênita relacionada ao vírus zika", explicou a gerente executiva de Vigilância em Saúde, Renata Nóbrega.

Na última segunda-feira (07) o Ministério da Saúde modificou o protocolo para o diagnóstico da microcefalia. A partir de agora serão considerados casos suspeitos os fetos que apresentaram perímetro cefálico de 32 centímetros. Até então o parâmetro utilizado era 33 centímetros. O médico pediatra e diretor do Hospital Arlinda Marques, Bruno Leandro de Souza, afirmou, no entanto, que essa redução não comprometerá o diagnóstico da doença.

"O que atesta são os exames de imagem, do líquido da coluna, da urina e o sangue. A própria OMS (Organização Mundial de Saúde) considera que 33 centímetros ainda é um perímetro cefálico normal e mesmo assim, alguns com 32 centímetros não serão diagnosticados com microcefalia", informou.

Relacionadas