quarta, 20 de janeiro de 2021

Saúde
Compartilhar:

230 mil portadores de deficiência na PB e ação atende pacientes hoje em JP

Lucilene Meireles com assessoria / 31 de março de 2017
Foto: Divulgação
Na Paraíba, cerca de 230 mil pessoas têm alguma deficiência na audição, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Como nem todas têm acesso a um serviço médico, hoje será a oportunidade de contar com atendimento gratuito e orientações durante a ação de saúde ‘Quero escutar’, que acontece no auditório da Funad, em João Pessoa. Haverá triagem de pacientes e palestras sobre o assunto. A ideia é identificar os diferentes tipos de problemas auditivos e encaminhar os pacientes, tanto do SUS quanto conveniados a planos de saúde, para o tratamento adequado.

No local, será instalada uma estrutura em forma de ambulatório, com uma equipe multiprofissional. Entre os especialistas estão otorrinolaringologistas e fonoaudiólogos. A ação é promovida pela Cochlear, líder global em soluções auditivas implantáveis, com apoio da Politec Saúde, Medical Care e da Funad. As palestras serão ministradas por Facundo Borlando, gerente de produto da Cochlear América Latina, e as fonoaudiólogas da Politec Saúde São Paulo e Paraíba, Agatha Joner e Rogéria Dias.

A organizadora da ação, Siumara Bergmann destacou que, todas as pessoas com perda auditiva em qualquer grau podem participar das avaliações. “A meta é contribuir para o encaminhamento adequado desse paciente para um serviço de saúde, que seja referência no atendimento especializado para o tipo de problema. Além disso, o propósito é mostrar que diferentes inovações tecnológicas estão disponíveis para melhorar sensivelmente a audição e a comunicação de pessoas com determinados tipos de deficiência auditiva”, ressaltou.

Já a presidente da Funad, Simone Jordão, destacou a Funad é um órgão do Governo do Estado que abriga o centro de referência no atendimento a pessoas com problemas auditivos, inclusive com o serviço de reabilitação. “A ação será uma grande oportunidade de aprendizagem e troca de informações acerca das novas tecnologias utilizadas no tratamento auditivo, além de contribuir para o bem estar e uma melhor qualidade de vida dos pacientes”, defendeu.

Leia Mais

Relacionadas