segunda, 17 de junho de 2019
Religião
Compartilhar:

Dom Aldo diz que acusações contra ele são “horrorosas”

Redação / 07 de julho de 2016
Foto: Nalva Figueiredo
Um dia após o Vaticano aceitar a renúncia de Dom Aldo Pagotto, religioso quebra o silêncio e concede entrevista ao Jornal Folha de São Paulo. Pagotto disse que o seu afastamento da Arquidiocese da Paraíba “é uma situação dolorosa”, porém ressaltou que entendeu a postura do Papa Francisco. Ele disse ainda que se baseou no exemplo do Papa Bento 16 ao pedir a renúncia do Cargo para uma nova pessoa assumir o posto.

Sobre as acusações de ter acobertado casos de pedofilia e de ter mantido relações homossexuais, Dom Aldo afirmou estar com a consciência em paz. Ele classificou as acusações como ‘horrorosas’ e caluniosas que o magoaram muito.

Dom Aldo admitiu ter acolhido na igreja padres acusados da pratica de pedofilia. Segundo ele, os padres estavam em crise procurando um lugar para recomeçar a vida. “E eu dei essa oportunidade a pessoas que mais tarde se revelaram suspeitas de pedofilia”, afirmou. O religioso ponderou que denunciou estes casos ao Ministério Público e ao Vaticano e que não foi  omisso em nenhum momento. “Confesso o meu excesso de misericórdia porque dei uma chance a pessoas que eu não conhecia bem”, lamentou.

Segundo ele, ao todo foram seis casos denunciados  na Paraíba.  Em três deles os padres foram apontados como culpados e afastados, dois ainda estão sendo julgados e um foi inocentado.

Após a confirmação da renúncia, Dom Aldo disse que pretende voltar para sua congregação, em Fortaleza. “Vou ficar um tempo lá para colocar minha cabeça em ordem. Ser arcebispo emérito não é demérito para ninguém. Quero continuar trabalhando”, declarou.

Relacionadas