quarta, 19 de dezembro de 2018
Prisão
Compartilhar:

Engenharia do crime: jovens abasteciam festas de JP com maconha, cocaína, LSD e ecstasy

Ana Daniela Aragão / 29 de setembro de 2016
Foto: Nalva figueiredo
A Polícia Civil apresentou ontem, à imprensa, quatro jovens de classe média (dois deles estudantes de engenharia civil), acusados de comercializar maconha, cocaína, ecstasy e LSD, em festas e bares da Capital. A prisão em flagrante, na noite da terça-feira, foi uma surpresa até para os policiais, que chegaram ao grupo após uma investigação sobre dois carros roubados, comandada pela Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos e Cargas de João Pessoa (DRFV).

A suspeita é que a comercialização das drogas servia para financiar a estrutura para roubos de carros, em João Pessoa. Os entorpecentes estavam num dos quartos de um apartamento no bairro do Bessa, alugado por R$ 20 mil, por um período de um ano, somente para servir como depósito de drogas.

O delegado Nélio Carneiro acredita que os rapazes estão envolvidos não só com o tráfico, mas também com roubo e receptação de veículos e que eles, apesar de jovens, não eram iniciantes no ‘negócio’.

Segundo o delegado, os jovens tinham residências fixas em outros locais da cidade e o apartamento era usado apenas para passar um tempo e guardar a droga.  Os acusados deveriam passar a noite na Central de Polícia e seriam encaminhados hoje para audiência de custódia.

"Eles já vinham fazendo isso há bastante tempo. Nenhum traficante abastece iniciantes com esse volume de droga", disse o delegado.

Nélio Carneiro contou que a polícia  chegou ao grupo por causa de um HB20 roubado e encontrado com dois rapazes, no bairro do Altiplano. Um deles comprou o veículo, que custa quase 50 mil, por R$ 7 mil. Na abordagem, um dos rapazes apresentou uma CNH de Goiânia (GO) e os policiais desconfiaram. “Muita coisa que eles falavam não fazia sentido e o interrogatório nos levou ao apartamento do Bessa e, para nossa surpresa, estava lá muita droga. Eles nem tentaram esconder, porque, por certo, não imaginariam que alguém fosse até lá. A investigação está no início, mas acreditamos que o grupo está envolvido com roubo e receptação de veículos, além de tráfico”, afirmou o delegado, dizendo que Paulo Gildo, 18 anos,  é acusado da receptação de veículos e os demais tinham ligação direta com o tráfico de drogas.

“Eles recebiam as drogas possivelmente de outros países. Como são jovens, têm facilidade de contato com outros da mesma idade, em festas e bares”, declarou.

Apreendidos

1.400 adesivos de LSD

2.600 comprimidos de êxtase

15 kg de maconha

320 g de pasta de cocaína

SUSPEITOS

▶ Carlos Henrique Lacerda, 22 anos

▶ Paulo Gildo de Oliveira, 18 anos

▶ Victor Rhavelly Pereira, 22 anos

▶ Manoel Nóbrega da Silva Junior, 22 anos

Relacionadas