quinta, 27 de junho de 2019
Cidades
Compartilhar:

Preservação de parques ecológicos não sai do papel e problemas invadem cidade

Katiana Ramos / 23 de julho de 2017
Foto: Rafael Passos
Uma área verde para um momento de lazer em meio ao caos urbano. Em João Pessoa, há 13 Zonas Especiais de Conservação, onde estão inclusos parques. Mas, a preservação, na maioria delas, parece estar somente na Lei. Lixo, poluição das águas dos riachos e ocupações irregulares estão entre os principais problemas que tiram da população o direito de usufruir dos parques.

Semam e Sudema têm ações de preservação

Cada parque urbano de João Pessoa que é administrado pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Semam) tem um plano de manejo próprio. É o que informou o chefe da Diretoria de Arborização e Reflorestamento da pasta, Anderson Fontes. Ele explicou que as ações voltadas para a preservação das áreas verdes da capital seguem as determinações do Sistema Municipal de Áreas Protegidas, criado pela Lei municipal 12.101/2011.



“Para cada parque, a Semam institui regras e diretrizes, conforme as necessidades e especificidades das áreas. Nós estamos com uma política de arborização e avançamos muito no reflorestamento da cidade. Estamos com um total de 19 mil árvores e dessas, 80% foram plantadas nas Zonas Especiais de Conservação”, destacou Anderson Fontes.

Ele disse ainda que nos parques onde é permitido o uso da população são intensificadas ações de educação ambiental. Além disso, a Semam trabalha para identificar e punir as agressões feitas nas áreas verdes, como o descarte de lixo e a poluição de rios e nascentes.

Por meio da assessoria de comunicação, a Superintendência de Administração do Meio Ambiente do Estado (Sudema) informou que, em conjunto com a Secretaria Executiva do Meio Ambiente, vêm elaborando propostas de unificação dos parques  da Mata do Aratu, Mata de Jacarapé e Trilhas dos Cincos Rios para agilizar e baratear ações locais, tais como elaboração do Plano de Manejo (que é a lei que regulariza a Unidade), construção de sede com montagem de equipe e criação de Conselho Gestor para auxiliar o órgão na gestão destas áreas e seus problemas. A Sudema informou ainda que denúncias de invasão e descarte irregular de resíduos devem ser feitas pela população ao número telefônico 190, que é do Centro Integrado de Operações Policiais (Ciop).

Ranking

A pesquisa Ranking Connected Smart Cities, organizado pela Urban e divulgada no último mês de junho, apontou João Pessoa como a única capital do Nordeste com os melhores indicadores de meio ambiente. Conforme o estudo, João Pessoa passou da 20ª colocação, em 2016, para a 4ª este ano.

Paraíba poderá ter parque nacional

A Paraíba poderá ganhar um parque nacional para a preservação do bioma caatinga. A informação foi anunciada este mês e técnicos da Secretaria Executiva de Meio Ambiente e representantes do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) estão realizando visitas na Serra de Teixeira, sertão paraibano, para avaliar as condições físicas para a criação do Parque Nacional da Serra de Teixeira, que engloba mais de 10 municípios paraibanos com predominância da caatinga. Em uma primeira avaliação, os especialistas consideraram apta a área para criação do parque.

“Constatamos que a área também é propícia para a prática do turismo ecológico. Nós também conversamos com alguns moradores da área e eles apresentaram interesse na preservação da Serra de Teixeira”, relatou Aldilzio Lima, coordenador substituto da coordenação de criação de unidades de conservação do ICMBIo.

Aldilzio Lima adiantou ainda que a população residente no entorno do parque será consultada sobre o projeto de conservação. “Vamos tentar organizar um cronograma para que em breve, até o final do ano, nós possamos apresentar à proposta da criação do parque à população dos municípios e para isso será feita uma consulta pública onde o povo poderá opinar sobre a criação do parque”, explicou.

O Parque

A Serra de Teixeira possui uma grande riqueza da fauna e da flora, além das nascentes existentes no local, em torno de 70, é possível encontrar na Serra animais como veados, macaco – prego, onça puma, e novas espécies de lagartos e borboletas.

Relacionadas