sábado, 23 de janeiro de 2021

Cidades
Compartilhar:

Prefeitura de João Pessoa realiza fiscalização e monitoramento dos rios

Secom-JP / 21 de março de 2017
Foto: Rafael Passos
A cada ano, o dia 22 de março é destinado para uma série de discussões relacionadas à Água. Há 25 anos, a Organização das Nações Unidades instituiu que o dia 22 de março é o “Dia Mundial da Água’. Para aproveitar a data simbólica, a Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), através da Secretaria de Meio Ambiente (Semam), inicia, nesta quarta-feira, 22, um mapeamento dos principais rios da Capital. A primeira ação envolve fiscalização e mapeamento do Rio Cuiá. No entanto, a ação será continua e chegará a todas as bacias hidrográficas da cidade de João Pessoa.

Os técnicos da Divisão de Estudos e Pesquisas (Diep) da Semam trabalharão no levantamento das condições das principais bacias hidrográficas de João Pessoa. Serão mapeados os rios Jaguaribe, Cuiá, Gramame, Cabelo, Aratu, Jacarapé, Camurupim e Marés-Sanhauá.  O levantamento das informações é feito por uma equipe de engenheiros florestal, ambiental, biólogo e geógrafo, que deverão verificar as condições das nascentes, qualidade da vegetação no entorno dos rios e ainda locais onde há degradação.

Para o secretário da Semam, Abelardo Jurema Neto, conhecer as condições dos rios da Capital é um desafio. “Nossas equipes estão atentas, fiscalizando e cuidando das áreas que precisam de recuperação, mas esse é um esforço de todos os setores da sociedade. Preservar e recuperar recursos hídricos são obrigações urgentes e requer equipes multidisciplinares. É uma questão de sobrevivência não só para as pessoas, bem como para indústrias e outros setores”, disse.

O objetivo da ação é fazer um diagnóstico de cada região. Assim, de acordo com Anderson Fontes, chefe do Controle Ambiental da Semam, será possível desenvolver políticas públicas de recuperação de cada rio. “Trata-se de uma ação completa. Envolve todos os setores da Semam para que a gente possa ver a real situação dos recursos hídricos. Com esse diagnóstico em mãos vamos ser capazes de realizarmos ações específicas para cada rio”, revelou.

Relacionadas