quarta, 26 de setembro de 2018
Cidades
Compartilhar:

Pontes, viadutos e passarelas sem manutenção

Bárbara Wanderley / 10 de fevereiro de 2018
Foto: Assuero Lima
Desde 2016, o Ministério Público da Paraíba (MPPB) alerta para a necessidade de manutenção e reparo de pontes, viadutos e passarelas da Capital. No começo da semana, parte de um viaduto desabou sobre quatro carros em Brasília (DF). Ninguém ficou ferido e o incidente foi atribuído à falta de manutenção.

Em João Pessoa, embora nenhum acidente tenha ocorrido, o promotor do Meio Ambiente e Patrimônio Social, João Geraldo Barbosa, ingressou com ação civil pública contra a Prefeitura e o Governo do Estado no final do ano passado, mas tudo continua do mesmo jeito.

Como resultado da ação, a prefeitura recebeu, em janeiro, um prazo de 30 dias para realizar a manutenção das passarelas e viadutos sob sua responsabilidade, mas recorreu da decisão. A ação contra o Estado passa por análise.

João Geraldo destacou que o Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil avaliaram os locais e apontaram a necessidade de reparos. Entre os que precisam de manutenção, está a passarela localizada na Avenida Pedro II, nas imediações do Ibama. A reportagem esteve no local e constatou que a estrutura metálica está bastante enferrujada, há luminárias arrancadas, lâmpadas e pedaços de corrimão faltando, além de manchas de infiltração no teto.

As estudantes Letícia Andrade e Josefa Carneiro usam a passarela diariamente e afirmam que a manutenção seria muito bem vinda. “A gente só tem essa opção para atravessar, pela pista não dá”, disse Letícia.

O servidor público Orlando de Araújo também usa a passarela todos os dias. “A turma rouba as luminárias, as lâmpadas. Toda a estrutura está enferrujada. Não tem segurança, passa motoqueiro aqui em cima. Eu trabalho aqui há 35 anos, todo mundo me conhece, mas para quem não é daqui tem risco de segurança também”, comentou.

A situação também não é boa na passarela que fica em frente ao Centro Administrativo da Prefeitura, em Água Fria.

Mesmo em estado melhor do que a da Pedro II, até por ser mais recente, a estrutura também está enferrujada em vários pontos e boa parte do corrimão está faltando.“Não só aqui, mas a maioria das passarelas precisa de mais segurança e manutenção. Essa ainda não é das piores”, opinou a professora Karolina dos Santos, que passava pelo local.

Dnit

O Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (Dnit) informou que todas as pontes, viadutos e passarelas sob a circunscrição da Superintendência Regional da Paraíba apresentam boas condições de estabilidade estrutural, sendo necessárias ações de manutenção e conservação para que as condições de segurança e conforto sejam mantidas. Os serviços de manutenção estão previstos em contratos vigentes.

O chefe do Serviço de Planejamento e Projetos da entidade, José Antônio de Araújo Neto, disse que encontram-se em fase de levantamento os dados necessários para elaboração de anteprojetos de engenharia do Programa de Manutenção e Reabilitação de Estruturas - Proarte, que contemplará os serviços de reabilitação estrutural e funcional, bem como os serviços de manutenção preventiva e corretiva de estruturas.

Ele afirmou ainda que as passarelas do km 12,5 (Renascer), km 15,8 (Asper/Fiori), km 26,7 (Boa Esperança), km 24,3 (Água Fria), foram construídas pelo Governo do Estado da Paraíba (km 12,5, km 15,8 e 26,7) e Prefeitura Municipal de João Pessoa (km 24,3), todas em estrutura metálica, não foram oficialmente entregues ao Dnit…/PB até a presente data.

Por fim, o Dnit informou que os viadutos do bairro do Cristo, da Cidade Universitária, Engenheiro Ernesto de Souza Diniz (sobre Av. Flávio Ribeiro Coutinho) e a Ponte sobre o Rio Jaguaribe (km 15,2) serão objeto de alargamento na execução das obras de adequação de capacidade da rodovia BR-230/PB, do km 0,00 ao km 28,1. A obra também prevê a construção de mais 11 viadutos e 14 passarelas.

Relacionadas