sábado, 16 de janeiro de 2021

Policial
Compartilhar:

Polícia aponta marido como assassino da empresária Aline Albuquerque em CG

Wênia Bandeira / 10 de fevereiro de 2017
Foto: Wênia Bandeira
O caminhoneiro Luciano Mota do Nascimento, 44 anos, é acusado de ser o mandante do assassinato da sua esposa, a comerciante Aline Albuquerque da Silva, 25 anos, que aconteceu no dia 21 de dezembro, em Campina Grande. Este é o resultado obtido da investigação, intitulada pela polícia de ‘A Grande Farsa’, que já prendeu dois acusados de envolvimento no crime. A vítima estaria desconfiada de atos criminosos praticados pelo marido. Aline foi morta na frente da filha, de 8 anos, no bairro Bodocongó.

As informações foram divulgadas em entrevista coletiva cedida à imprensa ontem, na Central de Polícia, com a presença dos delegados Francisco de Assis e Antônio Lopes, que comandaram as primeiras investigações e ainda Ellen Maria, que assumiu recentemente a titularidade da Delegacia de Homicídios.

De acordo com a delegada Ellen Maria, Luciano estaria cometendo furtos e roubos na cidade, o que teria sido descoberto por Aline.

Segundo Ellen Maria, o nome da operação foi escolhido devido à encenação feita no dia do homicídio para que a polícia acreditasse se tratar de um latrocínio. Ela falou que costumeiramente, ao chegar em casa, ele descia do carro para abrir o portão, mas naquele dia, ele pediu que ela fizesse isto.

Além disso, ele saiu com Aline e a filha dela para fazer compras de Natal. “Aconteceu até de uma forma fria, porque eles estavam voltando das compras de presentes de Natal. Ela inclusive estava com um presente que iria entregar para a filha na mão quando morreu”, falou.

Câmeras de segurança gravaram o momento do assassinato, o que levou a PC aos autores. Rodrigo de Oliveira Sousa, 18 anos, confessou que foi o atirador, mas disse que cometeu o ato por causa de dívidas que a vítima tinha com ele, em virtude da loja de roupas que ela mantinha no bairro da Liberdade.

Uma semana após o homicídio, Rodrigo se apresentou a polícia, na presença de um advogado, e confessou ter atirado na mulher. Ele foi liberado logo após prestar depoimento, por não haver flagrante. Com as investigações, ele foi preso na quarta-feira passada.

Max André Barbosa Ferreira, conhecido como Teté, 22 anos, também foi detido, mas nega participação no crime. De acordo com a polícia, ele seria o motoqueiro que deu fuga ao atirador após o crime. Ellen Maria afirmou que mesmo eles negando envolvimento do marido no delito, a polícia já tem provas técnicas de que ele é o mandante. Luciano está foragido, com mandado de prisão expedido, e a PC pediu ajuda da população para encontra-lo com denúncias através do número 197.

Aline e Luciano mantinham um relacionamento há quase três anos. Ela deixou dois filhos, que ficaram na tutela da irmã da vítima. Ela foi executada na calçada de casa, com dois tiros.

Relacionadas