segunda, 14 de junho de 2021

Policial
Compartilhar:

Pipa com cerol é crime; Bombeiros orientam acionar o 193 em caso de acidente

Aline Martins / 10 de janeiro de 2018
Foto: Divulgação
Se para muitos soltar pipa com cerol é um misto de brincadeira e competitividade, para outros, a diversão pode virar uma tragédia. Nesse período de férias escolares, janeiro e julho, crianças e adolescentes, principalmente, estão com mais tempo livre para criar. No entanto, acabam elaborando algo extremamente perigoso. Na Paraíba, o uso de cerol em pipas é crime, conforme a lei 10.186/2013. No último sábado (6), a personal trainer e jogadora de futebol Élida Miria Silva, 28 anos, trafegava de moto pela BR-230, no trecho do bairro Castelo Branco, em João Pessoa, quando foi atingida com a linha da pipa com cerol, provocando cortes no ombro e pescoço.

Élida Miria passava pela BR-230, por volta das 17h30, quando sofreu o acidente. Ela contou que geralmente as crianças e adolescentes, nesse período de férias, gostam de empinar pipa entre 17h e 18h por conta dos ventos que são favoráveis. “O primeiro impacto foi no capacete. Quando senti, virei o pescoço, bateu no ombro e um pouco no pescoço”, relatou. O caso poderia ter sido mais grave ou mesmo fatal se a personal trainer estivesse em alta velocidade. “A velocidade mínima ali é 60 km ou 80 km/h”, frisou, destacando que essa foi a segunda vez que passou por situação semelhante. A primeira foi na rua de sua casa. No momento não havia ninguém soltando pipa, mas havia os restos de linha no entorno, o que acabou enroscando nela.

Embora esses casos aconteçam, não há dados específicos do número de atendimentos ou ocorrências sobre esses casos. Muitos ficam subnotificados ou especificados penas como cortes. De acordo com a tenente Hayana Carneiro, do setor de Relações Públicas do Corpo de Bombeiros Militar da Paraíba (CBMPB), em casos de acidente, orienta-se para que de imediato acionem o socorro através do 193, providencie uma toalha limpa, pressione o local para estancar a hemorragia e acalmar a vítima até o socorro chegar.

Relacionadas