terça, 25 de junho de 2019
Policial
Compartilhar:

‘Novo cangaço’ faz mais dois ataques a bancos em cidades do interior

Wênia Bandeira / 28 de dezembro de 2017
Foto: Chico Martins
No primeiro dia de pagamento da remuneração dos servidores do Estado, duas cidades foram alvos do chamado “Novo cangaço”. Muitos tiros de armas pesadas, várias explosões, grampos nas entradas e saídas dos municípios e população assustada foram novamente ouvidos e vistos em Lagoa Seca, na Região Metropolitana de Campina Grande, e em Pilar, na Zona da Mata. Nessa última, os bandidos também atiraram e jogaram uma bomba de efeito moral no prédio do destacamento da Polícia Militar.

“Foram mais de 15 minutos de tiros sem parar, quatro explosões grandes que tremeu tudo. Parecia que estava acabando o mundo”, contou a dona de casa Maria José Pereira, 34 anos, que mora em uma rua próxima à agência do Bradesco de Lagoa Seca. Ela explicou que não conseguiu ver nada do que estava aconteceu e não sabe quantos homens eram, mas falou que acordou assustada na hora que tudo começou a acontecer. Os três caixas eletrônicos do local foram explodidos por volta das 3h30 da manhã dessa quarta-feira (27) e destruíram o único banco que restou dos ataques recentes na cidade. “Agora vai ficar complicado para a gente pegar dinheiro e pagar as contas. Não tem mais onde fazer coisas de banco, vamos ter que ir para Campina Grande, gastar com passagem e alimentação”, acrescentou.

O bando armado chegou em Lagoa Seca já atirando para o alto e fez refém um grupo de feirantes que estavam no Centro da cidade. Na agência, o forro e o portão do prédio foram arrancados com a violência das explosões.

Após cerca de 15 minutos de ação, os bandidos fugiram pela BR-104, espalhando grampos na estrada.

Um dos caixas eletrônicos tinha sido abastecido na terça-feira, mas o banco não informou quanto foi levado pelos assaltantes.

A agência tem câmeras de segurança e a perícia foi realizada, mas as imagens só deverão ser entregues à polícia em um prazo de até 30 dias, porque as gravações ficam na central da empresa, em Recife (PE).

Ousadia em Pilar

Em Pilar, os bandidos foram mais ousados. Antes de explodir dois terminais de auto-acendimento do Bradesco, foram até o destacamento da Polícia Militar, metralharam o prédio e as duas viaturas que estavam estacionadas na frente, além de lançar uma bomba de efeito moral, para intimidar os policias.

Na agência, foram duas explosões simultâneas, mas a polícia acredita que os bandidos não tiveram acesso aos cofres e o dinheiro não foi levado. O teto ficou danificado, com o forro de gesso e telhado arrancados. Foram deixados grampos na saída para a cidade de Juripiranga. A investigação ficará a cargo da Delegacia de Pilar.

Relacionadas