quinta, 24 de janeiro de 2019
Policial
Compartilhar:

Nova ‘Okaida’ se reinventa e dita a lei do tráfico na Paraíba

Ainoã Geminiano / 14 de agosto de 2018
Foto: Rafael Passos
A festa da Okaida RB, no último fim de semana desafiou a polícia e mostrou o poderio da nova facção criminosa formada na Capital. Com foguetórios e tiros para o alto, os bandidos comemoraram um ano da dissidência liderada pelos traficantes "Ró Psicopata" e "Betinho", cujas iniciais dão nome à nova organização e que romperam com o traficante "Fão", líder da já antiga Okaida.

De acordo com ao Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE), a dupla "RB" tem uma visão empresarial do tráfico, estão impondo ordem e organização à facção e atraindo maior número de criminosos. Dias atrás por exemplo, Betinho baixou um decreto proibindo os bandidos do Bairro São José de praticar furtos e roubos nos vizinhos bairros de Manaíra, João Agripino e Jardim Luna, para evitar que a polícia ocupe o São José e assim faça cair as vendas do tráfico. Quem desobedecer será "disciplinado" com violência ou até a morte.

Robson Machado de Lima, o "Ró Psicopata" e José Roberto Batista dos Santos, o "Betinho", são presidiários que respondem por tráfico de drogas de homicídios, na Capital.

O primeiro está no presídio federal de Mossoró (RN) e o segundo cumpre pena no presídio PB1, de João Pessoa. Segundo a polícia, os dois eram auxiliares do traficante André Quirino da Silva, o "Fão", que cresceu na facção Okaida e assumiu o comando, há cerca de sete anos. Porém, os membros da facção estavam insatisfeitos com a liderança de "Fão", que estaria traindo alguns traficantes importantes, chegando a ordenar a morte de alguns, por motivos banais.

No dia 11 de agosto de 2017, "Ró" e "Betinho" anunciaram o rompimento com "Fão" e a criação da Okaida RB. Essa foi a data comemorada no último final de semana, com um breve histórico, narrado em um vídeo, na voz de um membro da facção.

A festa da OKD RB foi anunciada previamente entre os integrantes do bando e filmada por eles próprios, que espalhar amos vídeos pelas redes sociais, como forma de mostrar poder às facções rivais, a antiga OKD e os EUA.

Segundo o delegado Braz Morrone, chefe da DRE, o surgimento de mais uma facção criminosa em João Pessoa representa mais risco à população, por ser mais um grupo disputando território de tráfico. Por conta do rápido crescimento da OKD RB, as investigações da delegacia estão focadas nas atividades da facção. "O Betinho é um gerente muito organizado, falante, bem articulado, estratégico na gestão do tráfico, no sentido de aumentar a vendas de drogas e a lucratividade. Também tem imposto regras de conduta, para disciplinar os crimes que devem ser praticados pelos integrantes da facção", explicou.

Um dos exemplos da disciplina imposta por Betinho chegou ao conhecimento da DRE cerca de 20 dias antes da festa da OKD RB. Em um áudio compartilhado entre todos os membros da facção que atuam no Bairro São José, o gerente proibiu qualquer tipo de roubo ou furto nos bairros vizinhos, para que a polícia não vá ao São José em busca de assaltantes.

A festa da OKD RB desafiou as forças de segurança, por ter acontecido no mesmo final de semana em que a Polícia Militar realizada a “Operação Impacto”, com uso de 450 policiais, 130 viaturas, drogas, cavalos e até do helicóptero Acauã. Nessa segunda-feira (13) o comando da PM fez um balanço da operação e o comandante Euller Chaves disse que 41 pessoas foram presas.

Relacionadas