domingo, 17 de janeiro de 2021

Policial
Compartilhar:

Lá vem o golpe: 670 pessoas já foram vítimas este ano

Lucilene Meireles / 16 de outubro de 2015
Foto: Assuero Lima
Este ano, até agosto, 670 pessoas que foram lesadas em 36 tipos de golpes de estelionatários registraram queixas na Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF) de João Pessoa. Alguns casos são investigados em outros Estados, especialmente os relacionados à internet.

O delegado Lucas Sá explicou que entre os golpes menos comuns está o do dólar negro. Dois africanos foram presos na Paraíba tentando aplicá-lo. Já o golpe do bilhete premiado, mesmo sendo antigo, faz vítimas com frequência. Ele disse que, na situação, a vítima não percebe que é um golpe e o estelionatário acaba tendo sucesso.

“Os golpistas têm muita lábia, dizem que a vítima vai perder a vantagem se não aproveitar naquele momento. Querem que tudo seja muito rápido, porque se a vítima for checar, vai saber que é um golpe. Assim, se conseguir uma entre dez pessoas que aborda, já vai ter o ganho dele”, observou. Como não deixam vestígio, pois não há documentação (exceto nas fraudes bancárias), a investigação se torna difícil.

Entre os 36 tipos de golpes, alguns contam com a ajuda da vítima, porque há um contato telefônico, ela acredita e passa os valores voluntariamente. Em outros, o estelionatário tem acesso às informações da vítima e pratica a fraude sem a participação dela, como no caso do cartão clonado. Neste caso, não tem como se precaver, mas há como pedir o ressarcimento dos valores suprimidos.

Cuidados

▶ A regra geral é sempre desconfiar;

▶ Faça um check-up dos cartões;

▶ Não aceite ajuda de ninguém em bancos;

▶ Registre o boletim de ocorrência para que a polícia investigue;

▶ Instale um antivírus em seu computador;

▶ Acesse sites credenciados;

▶ Só feche negociação com sites que tenham CNPJ;

▶ Guarde todos os comprovantes;

▶ Conversas da negociação também devem ser arquivadas;

▶ Todos os caminhos da negociação servem como prova na delegacia ou justiça.

Leia mais no jornal Correio da Paraíba

Relacionadas