sexta, 24 de janeiro de 2020
Policial
Compartilhar:

Juiz condena quatro acusados de estupro em escola da Capital

Redação com Portal Correio / 25 de abril de 2019
Foto: Reprodução/Google Street View
O juiz da 2ª Vara da Infância e Juventude, Luiz Augusto Souto Cantalice, condenou à pena de internação quatro adolescentes suspeitos de participação em casos de estupros que teriam ocorrido no Colégio GEO, em João Pessoa. A condenação dos réus, cuja sentença foi proferida na noite de ontem, foi por ato infracional análogo ao crime de estupro de vulnerável.

Até a publicação desta matéria, não foi esclarecido o tempo total de internação que os réus deverão cumprir. Segundo o advogado de defesa de dois dos quatro adolescentes, Aécio Farias, por se tratar de segredo de justiça, a íntegra da sentença não será tornada pública.

Farias considera a sentença como um erro judicial. “Não havia qualquer prova para condenação. Vamos recorrer”, disse o advogado. O Ministério Público pediu a condenação dos acusados, com aplicação da pena máxima que é o cumprimento de medida socioeducativa, por três anos.

Na terça-feira, a Câmara Criminal do Tribunal de Justiça da Paraíba já havia rejeitado um pedido de Habeas Corpus impetrado em favor de um dos quatro menores acusados de ato infracional assemelhado ao estupro de vulnerável.

A decisão unânime e em harmonia com o parecer do Ministério Público teve a relatoria do desembargador Ricardo Vital de Almeida, presidente da Câmara, e aconteceu durante a sessão de julgamento de ontem.

Entenda o caso. Inicialmente, três adolescentes foram apontados como suspeitos do crime e apreendidos em uma ação da Polícia Civil. Porém, um quarto adolescente também participava dos abusos.

Os três primeiros adolescentes apreendido, foram apreendidos no dia 11 de março deste ano.

Vítimas e suspeitos estudavam na mesma escola e os abusos, descobertos pelos pais da criança, aconteceram por diversas vezes. O fato aconteceu no Colégio Geo de Manaíra, em João Pessoa, no ano de 2018.

Adulto

Um ex-zelador da escola, acusado de participar dos abusos no Colégio Geo, está detido no presídio do Roger, em João Pessoa. O caso dele será julgado por uma Vara Criminal.

Relacionadas