sábado, 16 de janeiro de 2021

Policial
Compartilhar:

Hospital de Trauma de JP registra 655 vítimas de arma de fogo até outubro deste ano

Beto Pessoa / 22 de novembro de 2017
Foto: Reprodução
Até outubro deste ano, 655 pessoas deram entrada no Hospital de Trauma vítimas de arma de fogo na Região Metropolitana de João Pessoa. As ocorrências atingem de adultos a recém-nascidos, como o filho de Nayara Caetano, 24 anos, que tem cinco meses. A jovem passeava com o filho na calçada de casa, no bairro dos Bancários, na noite da última segunda-feira (20), quando um homem, que reagia a um assalto, efetuou diversos disparos, atingindo a criança e uma senhora de 52 anos. A mãe da criança atingida disse que o filho passou por cirurgia para desalojar a bala no braço esquerdo e ainda está em observação.

O susto passou, mas dificilmente ela conseguirá voltar a andar tranquilamente com o filho pequeno. “Cheguei do trabalho cansada. Peguei meu filho nos braços para caminhar um pouco, por volta das 19h. A rua estava cheia. Tinha criança, idoso, gente conversando nas calçadas. Quando percebi que ia ter um assalto, mandei meus sobrinhos entrarem. Na porta de casa escutamos os disparos”, disse Nayara. A jovem não percebeu de imediato que o filho tinha sido atingido, só quando entrou na residência notou que o bebê sangrava. “Fiquei desesperada. Eu senti os estilhaços da bala, mas não tinha entendido que era tiro. Quando percebi saí na rua gritando por socorro, foi quando um carro passou e me ajudou a levá-lo ao Ortotrauma de Mangabeira”, disse.

Imagens do circuito interno de segurança circulam na internet e mostram o momento dos disparos. No vídeo, dois homens em uma motocicleta sobem na calçada e tomam a carteira de um pedestre. Logo após os assaltantes darem partida na motocicleta, o homem roubado saca um revólver e efetua pelo menos 4 disparos em direção aos assaltantes e às pessoas que estavam na rua. A senhora de 52 anos, que foi atingida com um tiro de raspão no queixo, passou por atendimento médico, também no Complexo Hospitalar de Mangabeira, e recebeu alta em seguida. Até o fechamento desta edição, o bebê seguia em observação médica.

Sem identificação

A assessoria de imprensa da Polícia Militar informou que até o presente momento não foram identificados os envolvidos no caso. As polícias Militar e Civil estão integradas na busca e identificação dos suspeitos e solicitam que qualquer informação sobre o caso seja informado pelo 190 ou 197.

Relacionadas