terça, 19 de janeiro de 2021

Policial
Compartilhar:

Drogas ‘explodem’ na Paraíba e 261 quilos já foram apreendidos somente este ano pela PM

Bruna Vieira / 04 de abril de 2017
Foto: Divulgação
No primeiro trimestre do ano foram apreendidos 261 kg de drogas na Paraíba, segundo balanço da Polícia Militar (PM). O número é bem maior, se somadas às apreensões dos demais órgãos de segurança pública, Polícia Civil e Polícia Rodoviária Federal (PRF). A maconha lidera as ocorrências, com 90% da quantidade. Nos últimos sete anos foram 10,1 toneladas em todo o Estado. Nesse período, houve crescimento de 375,74%.

A Secretaria da Segurança Pública e da Defesa Social da Paraíba (Seds) ainda não divulgou o balanço das apreensões do trimestre, que engloba o relatório do Instituto de Polícia Científica, PM e Civil, mas, segundo a Polícia Militar, o mês de março registrou mais apreensões do que janeiro e fevereiro juntos: 152 kg. No ano passado, a PM apreendeu quase metade de todo o material coletado: 536 kg. De acordo com a PM, a maconha e o crack disputam a posição principal nas apreensões historicamente, porém, este ano, a maconha disparou nas ocorrências, com uma Skank (variação produzida em laboratório). Em menores quantidades, o ecstasy e substâncias à base de anfetamina.

O coordenador de comunicação social da PM, major Gérson Lima, destacou que somente no mês passado, foram apreendidos quase um terço da quantidade do ano passado. “Terminamos o mês de março com 152 kg de drogas apreendidas, o que representa quase um terço de toda droga apreendida pela corporação no ano passado e as ações contra o tráfico irão continuar, com o trabalho da inteligência indicando os principais pontos de venda de entorpecentes, utilizando cães farejadores nas ações e apreensões e fechando várias rotas de entrada de drogas”, apontou.

Combate ao tráfico. A PM trabalha com duas frentes. A primeira é o trabalho preventivo com as crianças e adolescentes nas escolas, através do Programa de Educacional de Resistência às Drogas e à Violência. E a segunda, de forma repressiva, com a identificação de pontos de venda pela inteligência policial que desarticula as bocas de fumo. Cães farejadores auxiliam as ações e o Batalhão Ambiental combate a chegada de entorpecentes do rio Paraíba, ocupando as águas com lanchas e jet-skis, com o policiamento náutico.

Origem da droga. Segundo a PRF, a maior parte das apreensões ocorrem na BR 101, em Mamanguape. “O crack, pasta base de cocaína e cocaína vem quase sempre do Rio Grande do Norte. A maconha vem de outros estados e boa parte tem origem no Paraguai”, informou o inspetor Éder Rommel.

Relacionadas