terça, 24 de novembro de 2020

Policial
Compartilhar:

Depois de roubados, veículos ficam depenados ou esquecidos

Aline Martins / 09 de fevereiro de 2017
 

A bancária Vanessa Martins, 32 anos, teve o carro roubado no bairro dos Bancários, em João Pessoa, há dois meses. Dezessete dias depois conseguiu encontrá-lo em Mangabeira, na Capital. Além de todo “depenado”, o carro também teria sido usado para ações criminosas. No entanto, o construtor Washington Suassuna, 31 anos, não teve a mesma sorte da bancária. Hoje faz 90 dias que ele teve uma strada adventure, no bairro das Indústrias, e até o momento não tem nenhuma informação do onde estaria esse carro. Ambos estão nas estatísticas da Polícia Civil da Paraíba, que mostra que, embora o número de veículos roubados tenha diminuído em 8% nos últimos dois anos, a quantidade ainda é considerada alta. Em média, 5,3 veículos foram roubados por dia se comparado com os dados do ano passado. As motocicletas ainda estão no topo dos roubos.

Dois homens em uma motocicleta abordaram Vanessa Martins no momento que ela descia do carro após estacionar nos Bancários. Ele já pulou em cima de mim quando eu estava fechando o carro e me puxou. “Como eu estava no chão com minha bolsa, ele pegou minha bolsa e o meu celular que estava na minha mão. Ele disse: não leve minha bolsa não. Daí ele me puxou e entrou no carro e foi embora”, relatou, destacando que fez todos os procedimentos de registros nas polícias. Após 17 dias do ocorrido, a Polícia Civil ligou para ela dizendo que o veículo tinha sido encontrado no bairro de Mangabeira.

Segundo a bancária, os criminosos haviam tirado tudo do interior do veículo, até mesmo o fumê do vidro estava alterado. “O carro estava todo depenado. Eu nem abri o motor, mas dentro só tinha a marcha. O resto eles tinham tirado tudo. Como tinha seguro, o seguro ressarciu o valor. Eles pegaram o carro para assalto. É tanto que tinha um fumê claro no veículo e quando a gente achou em Mangabeira, o carro estava com um fumem bem escuro”, contou. Vanessa Martins recebeu o valor do veículo para a aquisição de outro, mas revelou que até o momento ainda não fez a compra. Por quê? Está traumatizada e evitando sair durante a noite de carro, período em que aconteceu o roubo, e também está andando de carona.

Também dois homens foram responsáveis pelo roubo do veículo do construtor Washington Suassuna, 31 anos, no bairro das Indústrias, há 90 dias. Ele contou que estava saindo de uma obra para outra no mesmo bairro quando passava por uma rua quando homens saíram de um matagal e pularam na frente do veículo. A dupla estava armada com pistola. “Como tinha um buraco na rua eu tinha que frear foi quando eles pularam na frente. O pessoal fala que foi informada dada, mas não sei”, comentou, acrescentando que os criminosos levaram além do carro toda a documentação da construtora, pessoal, dinheiro, relógio que estavam dentro do carro. “Não levaram o celular porque esses ifones têm rastreadores”, pontuou.

O construtor ainda ofereceu uma recompensa de R$ 10 mil para quem encontrar o veículo, mas até ontem não tinha recebido nenhuma informação do possível local onde estaria o carro. Washington Suassuna frisou até o número de veículos roubados apreendidos no final do ano passado, mas observou que nenhum deles tinha sido levado da Paraíba, mas todos do Estado vizinho. O carro não tinha seguro. Hoje, após o que aconteceu como já não tinha mais esperança de encontrar o veículo comprou outro e só utilizou quando estava com um seguro.

“Depois que aconteceu o roubo, o seguro ofereceu um carro reserva, mas fiquei adiando. Quando eu peguei saí com medo. É tanto que eu ultrapassei um sinal vermelho com medo de uma moto que estava atrás do carro” - Vanessa Martins, 32 anos, bancária.



Motocicletas ainda lideram roubos na Paraíba

No ano passado, 1.938 veículos (carros e motos) foram roubados no Estado. Dados da Secretaria de Estado da Segurança e Defesa Social (Seds) mostram que a quantidade de motos roubadas, principalmente na Capital ainda é maior. Mas em Campina Grande, segunda maior cidade, também não fica atrás. Em 2015, foram 2.105 veículos roubados. Quantidade superior ao registrado no ano passado. De acordo com informações da Seds, no campo das ações preventivas, a Polícia Militar realiza trabalhos previstos no Planejamento Operacional da Seds como a Cidade Segura e Impacto, que abrangem abordagens a pessoas e veículos utilizando todas as modalidades de policiamento.

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos e Cargas (DRFVC) da Capital, tem realizado investigações sobre quadrilhas especializadas na prática desses crimes.  Em 2016, foram 71 inquéritos instaurados, mais de 80 pessoas presas e indiciadas, mais de 115 veículos apreendidos/recuperados, 12 cargas apreendidas e nove organizações desarticuladas (especialmente nas operações Clone I, II, e III, nas quais 61 veículos clonados foram apreendidos).

Roubo de Carro (João Pessoa)

- 2016: 281

- 2015: 211

Roubo de Carro (Campina Grande)

- 2016: 258

- 2015: 247

Roubo de Motocicleta (João Pessoa)

- 2016: 864

- 2015:1046

Roubo de Motocicleta (Campina Grande)

- 2016: 535

- 2015: 601

*Fonte: Seds (Secretaria de Estado da Segurança e Defesa Social)

 

Relacionadas