segunda, 16 de setembro de 2019
Policial
Compartilhar:

Briga entre apenados suspende visita íntima no Roger

Mislene Santos com informações de Lucilene Meireles / 09 de janeiro de 2017
Foto: Nalva Figueiredo
A visita íntima transcorria normalmente até serem ouvidos disparos dentro do presídio do Roger, em João Pessoa. Companheiras de alguns presos chegaram a entrar na unidade prisional, mas foram retiradas  pelos agentes penitenciários logo em seguida.  Outras que estavam passando pela revista foram impedidas de entrar para visitar seus companheiros.

“ Eu ouvi alguns tiros e mandaram a gente sair. A gente soube que tem  dois presos feridos lá dentro, mas até agora ninguém nós disse nada e estamos aqui esperado para saber o que aconteceu”, disse a mulher de um detento que iniciou a visita, mas teve que sair logo em seguida.

Um preso saiu na escolta penitenciária e foi encaminhado para para o Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena. Ele estava com  com um pano no olho, o que confirma a informação da companheira de um dos presos que disse a reportagem que um dos detentos teria se ferido no olho.

Briga nos pavilhões cinco e seis

O gerente do sistema Penitenciário, João Paulo Barros, informou que ocorreu uma briga entre dois presos dos pavilhões cinco e seis. Um deles levou um soco, sofreu um corte do supercílio e foi encaminhado para o Hospital de Emergências Trauma.

“Foi uma situação pontual. Uma briga entre dois apenados. O plantão fez uma intervenção, os presos foram identificados e agora estamos realizando uma operação pente fino nos pavilhões”, explicou João Paulo Barros.

Ele informou que os disparos que as esposas dos presos ouviram foram de balas de borracha e efetuados pelos os agentes penitenciários para dispersar os detentos.  João Paulo Barros afirmou que visita desta segunda-feira foi suspensa e que a equipe do Choque da Polícia Militar está fazendo uma operação pente fino em todas as celas.

João Paulo Barros descartou que a briga entre os apenados tenham alguma ligação com as chacinas que vem ocorrendo nos presídios do país.

Relacionadas