sábado, 19 de junho de 2021

Policial
Compartilhar:

Aumenta número de roubos e furtos a carros na Paraíba; saiba como proteger seu veículo

Rammom Monte / 10 de novembro de 2016
Foto: Arquivo
Um dos crimes que vem apresentando um grande crescimento na Paraíba é o de roubo e furto de veículos. É o que aponta o 10º Anuário Brasileiro de Segurança, divulgado no mês de outubro. De acordo com os números, esta modalidade de crime cresceu quase 45% de 2014 para 2015, pulando de 2.178 casos para 3.154. E por conta disto é cada vez mais necessário se precaver e tentar deixar o seu veículo o mais seguro possível. Mas quais são os melhores itens e quanto custa em média para fazer isto? O CORREIO ONLINE conversou com especialistas para traçar este panorama.

Segundo Marcelo Eloy, gerente da equipadora Waldir Acessórios, os itens mais comuns utilizados para tornar o carro mais seguro possível são o alarme, travas elétricas e o rastreador, que vem sendo utilizado cada vez mais. Mas os itens apresentam uma variação de preços, a depender da marca e das tecnologias utilizadas.

Segundo ele, para instalar um alarme no carro, o valor varia de R$ 150 a R$ 350. Os preços diferenciam por conta da marca, anos de garantia e funções diversas. Marcelo explicou que, em aproximadamente duas horas, consegue instalar o equipamento no veículo. Já para por uma trava elétrica, o especialista precisa de um pouco mais de tempo e os preços variam de R$ 150 a R$ 250. Por fim, vêm os rastreadores. Estes precisam de uma mensalidade, já que utiliza o sistema de GPS. De acordo com Marcelo, a taxa de instalação varia de R$ 150 a R$ 190 e a mensalidade gira em torno de R$ 70.

Mas, apesar de todos estes equipamentos, o veículo ainda corre o risco de ser roubado ou furtado, como alerta Marcelo. E segundo ele, é imprescindível que o condutor do veículo tenha um certo cuidado.

“A situação como está hoje, faz com que os nossos hábitos nos traiam. Por exemplo, é melhor colocar em um estacionamento, mesmo que pague um pouco mais, a colocar na rua. Se for o jeito deixar o carro na rua, que a pessoa escolha um lugar movimentado. Tem que procurar sempre a segurança do carro, porque se o ladrão tiver muito tempo para trabalhar no veículo, ele vai conseguir roubar. O alarme, por exemplo, não vai impedir do cara roubar se ele tiver tempo de desligar e estiver em um local esquisito. Mesmo que depois o sistema faça com que o carro desligue, não vai impedir o roubo”, explicou.

numeros-de-roubos-e-furtos-de-veiculos

Seguros também ajudam a diminuir os prejuízos

Como disse Marcelo, apesar de todo equipamento de segurança, pode ser com que, ainda assim, o ladrão consiga roubar o carro e levá-lo. E para não ter um prejuízo ainda maior, o aconselhável é que o proprietário do veículo tenha um seguro automotivo. De acordo com o corretor de seguros Jair Azevedo, além de servir para estes momentos mais graves, o seguro também serve para outros tipos de problemas.

“Quando o cliente opta em fazer seguro particular, a abrangência é total. O carro fica protegido de qualquer situação. Seja ela roubo, furto, colisão de qualquer situação, alem de assistência 24h, reboque, mecânico, cobertura especial para pára-brisa, farol, lanterna, entre outros”, afirmou.

Para saber o quanto custa um seguro para um veículo são levadas em consideração algumas variáveis, como modelo e perfil do veículo, perfil do segurado, entre outras. Mas de acordo com Jair, o investimento fica na média de R$ 1.500, valor que pode ser dividido em até quatro vezes. Além disto, há os valores das franquias, que variam de caso para caso. Porém, Jair finalizou afirmando que em caso de roubo, furto ou perda total do veículo, o cliente não precisa pagar a franquia.

Relacionadas