quarta, 17 de julho de 2019
Policial
Compartilhar:

Arrastões em ônibus e paradas atormentam estudantes da UFPB

Ainoã Geminiano / 10 de outubro de 2017
Foto: DIEGO NÓBREGA
Os arrastões nas paradas de ônibus e dentro dos coletivos continuam em escala crescente na Capital. Na semana passada, os alvos dos bandidos foram passageiros das paradas que ficam em frente ao Campus I da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), onde aconteceram arrastões durante três dias seguidos. No local, estudantes e comerciantes reclamam da ausência da polícia e do fechamento de um posto policial.

Um comerciante que não quis se identificar, que trabalha no terminal, na frente da UFPB, disse que os usuários do equipamento foram assaltados na quarta-feira por volta das 20h, na quinta-feira, no mesmo horário, e na sexta-feira, às 14h. “Eu estava aqui nos dois assaltos de noite. Muitos carros param aqui ao lado para embarque e desembarque de pessoas e ninguém suspeitou quando o carro dos assaltantes parou. Só vi quando um deles estava aqui no meio, com uma arma na mão, tomando bolsa e celulares. Enquanto isso, dois garotos com aparência de adolescente, já vinham de lá do final da parada, recolhendo tudo. Até o motorista desceu para roubar. A impressão é que eram os mesmos suspeitos, nas duas vezes”, contou. O comerciante não testemunhou, mas tomou conhecimento do arrastão na sexta-feira à tarde, com as mesmas características.

Na parada que fica perto da descida para Avenida Pedro II, o comerciante Severino dos Ramos já testemunhou vários assaltos, diferentes da modalidade do arrastão. “Aqui normalmente aparece assaltante a pé e de moto, muitas vezes com faca. Abordam os estudantes, tomam bolsas e celulares. Outro dia uma aluna foi ferida com uma facada no braço, porque não queria entregar o celular”, relatou.

Os ataques nas paradas de ônibus e dentro dos coletivos foram denunciados no final do mês passado, pelo jornal Correio da Paraíba. Na ocasião, a Secretaria de Segurança informou que foram registradas 219 ocorrências do tipo entre os meses de janeiro e agosto deste ano. Em nota, a Polícia Militar informou que intensificou o policiamento ostensivo e abordagens a veículos para coibir a ação dos criminosos. Informou ainda que foram presos vários suspeitos de praticar esses roubos.

Posto fechado. Estudantes e comerciantes que frequentam a UFPB foram unânimes em reclamar da ausência de policiamento no local, apesar de existir um posto da PM, construído no muro da universidade, entre as duas principais paradas de ônibus. “Dificilmente eu vejo esse posto aberto. Sempre pego ônibus aqui no final da tarde e todas as vezes encontro fechado”, disse a aluna Denise Silva. “Eles só aparecem aqui à noite, pra fazer um repouso”, acrescentou o comerciante Severino dos Ramos.

O major Cristóvão Lucas, comandante do Batalhão Ambiental, responsável pelo posto da UFPB, negou que o posto policial tivesse fechado e disse que não existe mais policiamento fixo nesse tipo de equipamento. “O efetivo que utilizamos fica lá no posto a maior parte do tempo, mas tem também a missão de fazer rondas nas proximidades da universidade. Claro que, sendo a frente da UFPB uma área de muito fluxo, damos prioridade à permanência do policiamento naquele local. Mas não há como os policiais ficarem o tempo todo lá”, disse. O oficial não falou em reforço do policiamento no local.

Relacionadas