sexta, 05 de março de 2021

Policial
Compartilhar:

Após rebelião e mortes no Lar do Garoto, cinco internos continuam foragidos

Francisco José / 04 de junho de 2017
Foto: Chico Martins
Palco de uma rebelião que resultou em sete mortes na madrugada de sábado, o Lar do Garoto Padre Otávio Santos, localizado na periferia de Lagoa Seca, na região de Campina Grande, amanheceu sob controle. Foi o que informou ontem Noaldo Meireles, presidente da Fundac (Fundação de Apoio à Criança e ao Adolescente), instituição pertencente à Secretaria de Desenvolvimento Humano da Paraíba. Todos os internos já estão de volta aos seus quartos.

Cinco internos do Lar do Garoto continuam foragidos e um foi recapturado ainda na madrugada de sábado, segundo informação de Lúcio Ávila, diretor da instituição. O menor recapturado, de 17 anos, foi localizado por policiais militares ainda na BR-104, no município de Lagoa Seca. A contagem de todos os internos foi feita ontem no pátio da instituição socioeducacional.  A rebelião resultou na morte de sete internos. Outro menor sofreu ferimentos e está internado no Hospital de Emergência e Trauma onde passou por cirurgia e não corre risco de morte. Ele já prestou depoimento à Polícia.

Desde a madrugada de sábado até a tarde de ontem, uma força tarefa formada por funcionários da instituição, cuida do restabelecimento da normalidade no Lar do Garoto.  O sistema elétrico foi consertado, grades e paredes foram  recuperados;  e os colchões queimados foram substituídos.

Inicialmente projetado para abrigar 49 menores infratores, o Lar do Garoto foi ampliado hoje tem capacidade para 90 internos, mas está com 198. O presidente da Fundac, Noaldo Meireles reconhece a superlotação, mas aponta como motivação extraoficial para a rebelião da madrugada de sábado, a tentativa de fuga de parte dos internos.

No local trabalham 88 agentes sócioeducativos com plantões de 12 por 36 horas. A média de plantonistas é de 20 a 16 agentes por dia. “Não fosse a interferência dos agentes, sem portar armas, o desfecho da rebelião poderia ter sido mais trágico”, disse Lúcio Ávila, diretor do Lar do Garoto. As visitas de familiares dos internos, que estavam interrompidas, serão retomadas no próximo final de semana.

Relacionadas