terça, 24 de novembro de 2020

Cidades
Compartilhar:

PB perde competitividade com deficiência dos transportes

Ellyka Akemy / 14 de fevereiro de 2016
Foto: Nalva Figueiredo
Historicamente, a Paraíba tem ficado atrás de outros estados do Nordeste por falta de investimentos logísticos e de infraestrutura que permitisse a instalação de grandes empresas. Muitos governantes até tentaram atrair a iniciativa privada com o objetivo de agregar valor à produção local e elevar o salário médio da população. Mas este desejo acabava sempre se deparando com a deficiência da nossa infraestrutura portuária, marítima, aeroportuária, ferroviária e rodoviária.

A economista, Zélia Almeida, especialista em Crescimento Econômico, destaca que a Paraíba já esteve entre os líderes econômicos do Nordeste, quando possuía uma distribuição de produção que se estendia por todas as regiões do País. Entre as décadas de 1960 e 1980, o Estado era um dos maiores produtores de algodão e sisal do Brasil e tinha uma grande exploração de cana de açúcar.

De acordo com a Pesquisa Industrial do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 1982, tínhamos 20 indústrias extrativas e de produtos minerais. Na década de 1990, esse número caiu para cinco. Em 2013, último ano em que a pesquisa foi lançada, eram 64 indústrias desse tipo, mas que já não representam a mesma potencialidade econômica de anos anteriores.

A economista ressalta que a Paraíba poderia ter sido beneficiada com a chegada da Sudene, por estar localizada geograficamente muito próxima a Pernambuco.

Leia mais no jornal Correio da Paraíba

Relacionadas