quinta, 27 de junho de 2019
Cidades
Compartilhar:

Parque Arruda Câmara vai passar por reformas; edital deve ser lançado em agosto

Lucilene Meireles / 06 de junho de 2017
Foto: ASSUERO LIMA
Um dos locais mais visitados pelas crianças no Parque Zoobotânico Arruda Câmara (Bica), o parquinho infantil, está com quase todos os balanços quebrados. Correntes enroladas e brinquedos sem condições de uso desanimam os pequenos que têm o setor como principal atrativo. Além disso, há lixo em vários pontos por falhas na manutenção. Os problemas foram observados nesta segunda-feira (5), Dia Mundial do Meio Ambiente, no Parque Arruda Câmara, durante assinatura de um termo de cooperação técnica com a UFPB para realocação do Horto Municipal. Está prevista uma reforma no local. O edital deve ser lançado em agosto e a reforma deve durar oito meses.  Comente no fim da matéria.

A situação atual da Bica denuncia a falta de cuidado da Prefeitura de João Pessoa (PMJP) com a área de preservação. Um dos pontos que chama a atenção é a Fonte do Tambiá que está interditada há cinco anos. A promessa da PMJP é de que a Bica será totalmente requalificada ainda este ano, mas enquanto isso não acontece, uma das pracinhas dentro do parque está abandonada, com corrimões destruídos. Há ainda árvore tombada obstruindo a passagem de pedestres, sem contar com um poste de iluminação que caiu e permanece no chão.

O diretor do local, Jair Camilo, admitiu que existem outras dificuldades. “Um dos principais problemas é o recinto dos leões. O espaço hoje é muito pequeno para eles”, destacou. O secretário de Meio Ambiente, Abelardo Jurema Neto, afirmou que os estudos para o processo de requalificação estão em andamento. “Em agosto deverá ser lançado o edital para licitação e a obra deve durar oito meses”, garantiu.

Fonte. A fonte do Parque, que compõe o patrimônio histórico nacional, está interditada há cinco anos e mais parece uma ruína. Em fevereiro de 2016, o projeto de reforma da PMJP foi barrado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e teve que ser refeito pela Secretaria de Meio Ambiente de João Pessoa (Semam) em parceria com o órgão. Na época, a direção da Bica garantiu que até o final do ano a obra ficaria pronta. Porém, só um ano e quatro meses depois, a Semam dá uma previsão de até 90 dias para revitalizar ao fonte.

Atualmente, a aparência do local é de total abandono. A escadaria que leva até ela está praticamente destruída. Ferragens estão aparentes e há buracos que não permitem o acesso dos visitantes. A estrutura da fonte apresenta várias rachaduras e há plantas nascendo entre as fendas. Para não ruir, foram colocadas escoras de madeira que os cupins estão destruindo.

Cooperação. Ontem, foi lançado um termo de cooperação entre a Secretaria de Meio Ambiente de João Pessoa (Semam) e a Universidade Federal da Paraíba (UFPB) para transferir o horto florestal para uma unidade da instituição, no bairro de Mangabeira.

“É mais uma parceria da UFPB com a Prefeitura de João Pessoa que vai permitir à universidade fazer atividades de ensino, pesquisa e extensão e contribuir para que a gente possa ter um horto com mudas que vão beneficiar a sociedade como um todo”, declarou a Reitora da UFPB, Margareth Diniz.

Já o secretário Abelardo Jurema Neto disse que o termo de cooperação permite que o horto ganhe mais espaço ao ser relocado para um terreno doado pela UFPB, onde será agregado o viveiro de plantio de mudas nativas da cidade. “O termo de cooperação traz inúmeros benefícios e o primeiro é retirar o horto da Bica, porque ela vai passar por um processo de requalificação. A Bica se transformará. Para que não haja prejuízo no meio ambiental do horto, é necessário o deslocamento para outro local”, completou.

Leia Mais

Relacionadas