sábado, 23 de janeiro de 2021

Paraíba
Compartilhar:

Mais de 700 mulheres assassinadas em cinco anos

Rammom Monte / 10 de abril de 2017
Foto: Ilustração Correio
A violência contra a mulher ainda é um dos grandes problemas enfrentados na sociedade. Só nos dois primeiros meses deste ano, 10 mulheres foram assassinadas ou  vítimas de outros crimes que resultaram em morte na Paraíba. De 2011 até fevereiro deste ano, foram registradas 727 ocorrências do tipo, segundo a Secretaria da Segurança e Defesa Social. Isto sem levar em consideração os casos que não são registrados, além das agressões. Neste fim de semana, mais dois acontecimentos entraram para os registros.

No sábado, uma mulher desmaiou após ter sido agredida com um soco pelo namorado. O crime aconteceu na saída de uma casa de shows no bairro do Catolé, em Campina Grande. O Samu foi acionado para atendê-la e prestou os primeiros socorros ainda no local, logo após a mulher foi encaminhada para o Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande.

O homem, suspeito de agredir a namorada, compareceu à delegacia, juntamente com familiares, para registrar a ocorrência e prestar esclarecimentos.

Já na noite deste domingo (9), uma jovem de 27 anos foi assassinada com pelo menos quatro facadas em Araruna, Agreste do estado, a 165 km de João Pessoa. O ex-namorado dela, um pintor de 46 anos, é o principal suspeito do crime. Eles tinham se separado havia cerca de três meses e familiares informaram que a vítima vinha sendo ameaçada pelo pintor, mas não chegou a denunciar o caso.

De acordo com a Polícia Militar, o crime aconteceu por volta das 18h20, quando a vítima voltava de um balneário com um amigo. Eles trafegavam em uma motocicleta pela Zona Rural e foram seguidos pelo suspeito, que também estava em uma moto. Ainda conforme a PM, o suspeito colidiu propositalmente o veículo que conduzia com o que a ex-namorada estava.

“Quando a moça caiu, o suspeito desferiu duas facadas no peito dela e uma em cada perna. O amigo que a acompanhava correu e informou que chegou a ser perseguido pelo suspeito, mas conseguiu escapar ao pular uma cerca e se esconder em um matagal. Furioso, o suspeito voltou ao local e destruiu o tanque da moto do rapaz com três facadas”, informou o sargento Pedro.

Programas de combate

Para tentar combater a violência contra a mulher, o governo do Estado tem o programa Mulher Protegida, que entregou 150 aparelhos nas cidades de João Pessoa e Campina Grande. O aplicativo liga a vítima ao Centro Integrado de Operações Policiais (Ciop) e à Delegacia da Mulher quando ela se sentir ameaçada. O programa ainda prevê visitas regulares a fim de fiscalizar o cumprimento de medida protetiva expedido pela Justiça contra o agressor.

Relacionadas