sexta, 18 de setembro de 2020

Paraíba
Compartilhar:

Lixo é maior ameaça para tartarugas na PB

Lucilene Meireles / 27 de outubro de 2016
Foto: Ong Guajiru/Divulgação
O chefe da Divisão Técnico-Ambiental, Alexandre Parente Lima, explicou que quando há a morte fora do comum, por derramamento de óleo além do autorizado ou lixo, o Ibama tenta encontrar os culpados e responsabilizá-los. Nos casos de morte de golfinho, apenas é recolhida a carcaça. Parente destacou que o Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio) tem um plano nacional de ação para conservação das tartarugas marinhas. São eleitas as principais áreas, ou seja, os locais onde há mais desova, mas no âmbito nacional, e a área da Paraíba não foi considerada relevante.

Ele acrescentou que, na Paraíba, a pesca industrial passa distante do litoral. Por isso, nunca foi identificada relação direta de navio pesqueiro com morte de tartaruga na Paraíba. “A informação que temos da Guajiru é que as mortes ocorrem por ingestão de plástico. Não há como responsabilizar uma pessoa. Então, é uma questão de educação”.

Se for identificada mortandade fora do normal, ou seja, se passa um navio, solta grande quantidade de óleo e morrem várias tartarugas, o Ibama tenta identificar o navio. "Se a ONG Guajiru identificar que a morte foi por conta do lixo, a gente também busca identificar de onde vem o lixo.  É recorrente a questão da morte das tartarugas. Infelizmente, não temos estatística oficial do Tamar por aqui não ser considerada área estratégica. Estamos tentando entrar em contato com o Tamar para um estudo temporário, mas o recado para a população é que evite jogar lixo no mar, tendo a consciência do dano que pode causar”, completou Alexandre Parente.

Novos ninhos

A nova temporada de ninhos de tartarugas marinhas começa no mês de outubro e segue até junho. O primeiro já foi localizado pela ONG Guajiru e está sendo monitorado. A expectativa é que em 25 dias nasçam os filhotes. Além de Intermares, os ninhos normalmente ficam nas praias do Bessa, em João Pessoa, e Ponta de Campina, município de Cabedelo.

“Mesmo sem uma sede, continuamos monitorando a praia. Já temos um ninho registrado na temporada nova em Intermares. Dia 29 haverá reunião de inscrição de novos voluntários para a temporada 2016/2017, às 9h30, em frente ao Bessa Gril. Vamos treinar para que eles possam nos ajudar a cuidar”, disse Rita Mascarenhas. Hoje são dez pessoas.

Nascimento de filhotes

160 mil filhotes em 14 anos.

12 mil entre outubro de 2015 a junho de 2016

Fonte: ONG Guajiru.

Serviço

Ibama 0800 61 8080 para denúncias e reclamações – 24h

ONG Guajiru – página no Facebook - Tartarugas Urbanas – Guajiru ou 9129-7496.

Polícia Ambiental – 3218-7246.

 

 

Leia Mais

Relacionadas