sexta, 19 de abril de 2019
Paraíba
Compartilhar:

Governo de João Azevêdo completa 100 dias nesta quarta-feira

Redação/Assessoria / 10 de abril de 2019
Foto: SECOM-PB
O governador João Azevêdo completa 100 dias de gestão nesta quarta-feira (10). No período, foram entregues ou anunciadas obras e ações que totalizam mais de meio bilhão em investimentos, entre as quais o Programa Paraíba Rural Sustentável, no qual serão investidos US$ 50 milhões do empréstimo do Banco Mundial, mais US$ 30 milhões de contrapartida do Estado (aproximadamente R$ 300 milhões) para beneficiar mais de 45 mil famílias paraibanas que trabalham com a agricultura familiar. Também se destaca o lançamento do Sistema de Monitoramento de Segurança com Centros Integrados de Comando e Controle (CICC) em João Pessoa, Campina Grande e Patos, orçado em R$ 15 milhões.

Nestes 100 primeiros dias de governo podem ser destacadas as inaugurações da expansão da rede de gasoduto no Distrito Industrial de João Pessoa e a ligação da termoelétrica Epasa ao gás natural, num investimento de mais de R$ 1 milhão; do Residencial Thomas More I e II, na Capital (R$ 19,2 milhões); da travessia urbana e acesso ao aeroporto de Monteiro (R$ 1,8 milhão); travessia urbana de São João do Rio do Peixe (R$ 1,1 milhão), a reforma e ampliação da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio João Cavalcanti Sula, no município de Boa Ventura (R$ 1,5 milhão), Ginásio da Escola Cidadã Integral Elaine Soares Brasileira, em Santa Helena (R$ 282 mil), Unidade de Polícia Solidária Colinas do Sul, em João Pessoa (R$ 312 mil); Centro de Formação Educacional e Cultural de Coremas (R$ 430 mil).

Ainda se destacam as ordens de serviço para as obras de construção da quarta adutora de Cajazeiras que irá ampliar o abastecimento d’água na Região (R$ 22,3 milhões), segunda etapa da Adutora Translitorânea, que visa ampliar o sistema de abastecimento d’água na Região Metropolitana de João Pessoa (R$ 23 milhões), reforma da Escola Cidadã Integral José Leite de Sousa, em Monteiro (R$ 2,8 milhões), implantação da rede de distribuição de Coremas (R$ 3,7 milhões), restauração da PB-025, que liga Lucena à BR-101 (R$ 2,7 milhões), construção da ponte em concreto estrutural na cidade de Mogeiro, ligando a rodovia PB-066 à Avenida Ministro José Américo de Almeida (mais de R$ 1 milhão); pavimentação e drenagem das ruas Severina Lopes do Nascimento e Projetada, em Monteiro (R$ 826 mil); nova 3ª Delegacia Distrital (R$ 460 mil); esgotamento sanitário em oito cidades paraibanas: Boqueirão, São João do Cariri, Santo André, Juazeirinho, Aparecida, Poço José de Moura, São Domingos de Pombal e São Francisco (R$ 20 milhões), reforma e ampliação da escola José Gadelha, em Aparecida (R$ 1,6 milhão) .

E ainda: travessia urbana da PB-228, em Areia de Baraúnas (R$ 1 milhão), adutora do Congo (R$ 2,2 milhões), adutora de Triunfo (R$ 7,6 milhões), reforma e ampliação da Escola Pedro Lins Vieira de Melo, em João Pessoa (R$ 1,8 milhão), abastecimento d’água da comunidade Santa Lúcia, em Araçagi (R$ 700 mil).

Entre as ações anunciadas estão expansão do programa Gira Mundo com investimentos de R$ 11 milhões; lançamento da 5ª edição do Projeto Acolher (R$ 1 milhão), edital de chamada pública do Programa de Aquisição de Alimentos (R$ 1,2 milhão), liberação de créditos do Empreender PB (R$ 1,6 milhão) e equipamentos especiais para o Corpo de Bombeiros (R$ 326 mil).

Também destacou a elaboração do Plano de Segurança de Barragens (R$ 2 milhões); Projeto Educação Conectada (R$ 4 milhões); chamada pública para aquisição de alimentos (R$ 40 milhões), veículos camionetes para o Departamento de Estradas de Rodagem (R$ 1,5 milhão).

Líderes avaliam gestão 

Os líderes da oposição e da maioria na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), Raniery Paulino (MDB) e Wilson Filho (PTB), respectivamente, avaliam ontem os 100 primeiros dias de governo de João Azevêdo. Paulino evitou polemizar e criticar atuação administrativa em projetos e execuções, mas avaliou que o ainda deixa a desejar em alguns pontos, principalmente de relacionamento com o Poder Legislativo.

Um ponto observado pelo líder da oposição é quanto o excesso de Medidas Provisórias encaminhadas à ALPB. “Não entendo o que leva um governo que tem ampla maioria enviar tanta Medida Provisória. Não seria necessário e isso prejudica o devido processo legal dentro de um âmbito de discussões”, avaliou.

Para Raniery, o governo deveria ouvir mais a oposição. “Cito dois momentos em que os deputados oposicionistas alertaram o governo, mas que não foram ouvidos. Um deles foi sobre os alertas feitos sobre as organizações sociais e o outro no aumento dos 2% de ICMS para o Fundo de Pobreza em alguns produtos. O resultado disse é que tiveram que voltar atrás nas decisões. É importante que o governo escute mais a oposição. Nós estamos aqui para colaborar”, disse.

O líder oposicionista destacou ainda vitórias importantes da oposição durante os 10 primeiros dias do governo João. Uma delas foi com o processo eleitoral na escolha do presidente no segundo biênio e também dos presidentes das comissões. “Isso fez o governo mudar a postura aqui na Casa, o que é interessante. Conseguimos avançar em algumas pautas de presença de secretários, mas ainda existem temas tabu que o governo não aceita debater e discutir, como a pauta das organizações sociais”, destacou.

Já o líder da maioria, Wilson Filho (PTB), justificou o bom trabalho do governo durante os 100 primeiros dias dizendo que o governador João Azevêdo se preparou para ser governador antes mesmo de saber que um dia seria. “João me disse que já era secretário quando eu nasci, desde 1989 e ele já praticava o exercício da gestão pública por ser um técnico qualificado”, disse.

Segundo Wilson, João Azevêdo sabia o que ia fazer desde o início e no dia 2 de janeiro já decretou a diminuição das taxas de energia, o que afetou positivamente a vida de 50 mil pessoas em todo o Estado. Conseguiu também, com mérito do ex-governador Ricardo Coutinho, uma estabilidade fiscal para formular parceria com o Banco Mundial no valor de cerca de R$ 30 bilhões para ajudar 170 mil paraibanos da agricultura familiar.

Entre as ações, o líder destacou os R$ 50 milhões que serão investidos na melhoria da Maternidade Frei Damião, em João Pessoa.

Relacionadas