segunda, 18 de janeiro de 2021

Paraíba
Compartilhar:

Estância Ouro Verde finaliza pista de pouso de aeronaves na Grande João Pessoa

Nice Almeida e Celina Modesto / 17 de abril de 2017
Foto: Celina Modesto
A pista asfaltada para pouso de aeronaves localizada em Forte Velho, no município de Santa Rita, está quase pronta. Ela faz parte de um empreendimento pioneiro que chega à Paraíba e deve modificar o conceito de condomínios no Estado, pois trata-se de um condomínio aeronáutico. Um sobrevoo no local revela o andamento das obras e como elas estão avançadas. A espera é somente que as chuvas deem uma trégua na região metropolitana de João Pessoa para que o asfalto da pista seja colocado e ela passe a funcionar. A Estância Ouro Verde - Clube Fly In está situada em uma área de 183.259 metros quadrados.

De acordo com o presidente do Conselho Administrativo do empreendimento, Higo Ramos Bruno, nove sócios estão investindo no projeto com recursos próprios. As obras já iniciaram e a previsão é que no mês de abril a pista esteja concluída, permitindo o embarque e desembarque de aeronaves no local, quando também será iniciada a comercialização dos lotes. A estimativa é de que o local seja dividido em 50 lotes, mas a metragem de cada um ainda não foi definida.

"A Estância Ouro Verde é um condomínio aeronáutico dotado de toda a infraestrutura para receber aeronaves de pequeno e médio porte de toda a parte do Brasil. Teremos também posto de abastecimento, oficina de manutenção e serviço de táxi aéreo. Lá os proprietários poderão ter seu hangar e ter sua casa no mesmo local", explicou Higo.

O empreendimento terá investimento total de aproximadamente R$ 7 milhões e vai contar com espaço para a edificação de residências com hangares privativos, além de pista asfaltada com balizamento para pouso noturno, hangares e os serviços de táxi aéreo e oficina para manutenção de aeronaves.

As obras da pista tiveram início em novembro do ano passado, imediatamente após a obtenção de todas as licenças aeronáuticas e ambientais necessárias para um empreendimento deste tipo. “Obtivemos a licença prévia de instalação junto à Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) desde outubro do ano passado. Depois de concluída a pista, ela passa por uma vistoria para o processo de registro definitivo. Isso deverá acontecer somente em abril. Depois de 48 horas da vistoria, a pista já estará liberada para voos”, explicou.

Para obter todas as licenças foram necessários pelo menos dois anos. “Esse tempo já era esperado, pois temos de atender vários requisitos de segurança e proteção ao meio ambiente. Até atingirmos todo esse patamar de ajuste e documentação, foram necessários dois anos de planejamento”, afirmou Higo Ramos Bruno.

O coordenador também explicou que o público-alvo do empreendimento são os apaixonados por aviação, profissionais do setor e empresários que possuem aeronaves. “(O condomínio foi) construído pensando nas aeronaves executivas, de instrução e também de aviões regionais, além do aerodesporto, ou seja, uso para recreação. O condomínio vai contar também com posto de abastecimento de aeronaves, oficina de manutenção, área de convívio com piscina e esportes, escola de pilotagem, ou seja, o uso ligado à atividade aeronáutica”, declarou Ramos.


Relacionadas