domingo, 17 de novembro de 2019
Paraíba
Compartilhar:

Chuvas fortes e ventanias devem continuar no Sertão da Paraíba

Katiana Ramos e Wênia Bandeira / 19 de janeiro de 2019
Foto: Reprodução
As fortes chuvas com direito a ventanias e trovoadas devem continuar no Sertão paraibano. A região vem registrando esse quadro desde a semana passada e ontem o Instituto Nacional de Meteorologia (InMet) emitiu um alerta de chuva intensa para o Estado, que pode registrar até 50 milímetros por dia em alguns pontos. O aviso é válido até às 23h de hoje.

Tanto a ocorrência dos temporais quanto até mesmo a presença de raios, trovões e granizo, como aconteceu na última quinta-feira em São Sebastião do Umbuzeiro, são fenômenos tidos normais para este período, como explica a meteorologista da Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (Aesa), Marle Bandeira.

“Em Sousa, tivemos um aglomerado de nuvens combinado com calor e umidade, que provoca trovões, relâmpago e muito vento. Normalmente ocorre durante o verão, já que a temperatura média registrada na cidade é de 37 graus”, afirmou Marle Bandeira.

Este aglomerado de nuvens tem uma extensão vertical considerável, o que é chamado de nuvem cumulonimbus. Para o fim de semana, há previsão de novas ocorrências dependendo da temperatura e da umidade, segundo explica.

“Existem perspectivas por todo o fim de semana, final da tarde e início da noite. O granizo também pode ocorrer pelo mesmo motivo, mas em áreas isoladas”, falou.

A precipitação registrada em Sousa, na última quinta, foi de 115,5 milímetros, acima da média histórica de 99,5 milímetros. Esta foi a cidade onde mais choveu na Paraíba. Já São Sebastião do Umbuzeiro teve precipitação de 8,9 milímetros.

Estragos. A diretora do Hospital Regional de Sousa, Apoliana Ferreira, explicou que a unidade de saúde foi mais um dos pontos que sofreram com a tempestade. Várias árvores caíram e três delas estavam no hospital.

“Uma árvore caiu em cima do gerador de energia e ele não conseguiu disparar, o que impossibilitou o funcionamento da usina de oxigênio, por isso precisamos retirar pacientes para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA)”, contou a diretora. A usina citada por ela é um duto que manda o oxigênio até o paciente.

Foram transferidos cinco pacientes da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e dois da área vermelha. Os pacientes que precisariam de UTI ou da área vermelha foram encaminhados para outros hospitais. Além desta árvore, outras duas caíram na frente do hospital. Elas foram retiradas pela prefeitura ontem.

“Foram 12 horas sem energia elétrica no hospital, mas o gerador tem uma carga de reserva que permitiu o funcionamento do restante das áreas”, afirmou. Outras bairros de Sousa continuaram sem energia durante todo o dia de ontem.

Relacionadas