sexta, 19 de abril de 2019
Cidades
Compartilhar:

Orelhões estão sem funcionar na Grande João Pessoa

Aline Martins / 05 de fevereiro de 2019
Foto: Nalva Figueiredo
Embora as ligações gratuitas para telefones fixos e celulares, inclusive para outros estados do País, originadas de orelhões da Oi, uma punição determinada pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), estejam ativas até o dia 31 de março deste ano, dificilmente é possível encontrar um equipamento desses em funcionamento em João Pessoa e na Região Metropolita. Alguns orelhões até estão com o telefone instalado na cabine, mas não efetuam chamadas. Outros sequer possuem o aparelho telefônico. A população reclama da falta ou ineficiência do serviço.

Sem créditos telefônicos para ligar para a Previdência Social para marcar atendimento médico, Wandemberg Gonçalves e a esposa Nataly Luiz penaram para encontrar um orelhão que funcione. Eles moram no distrito de Várzea Nova, no município de Santa Rita, e na Rua João Gomes Vieira, onde residem, há um equipamento, mas sem funcionar. “Eu precisei ligar para o INSS, mas cadê o orelhão funcionar. No celular não tinha como fazer a chamada.

A gente teve que vir no prédio do INSS, mas eles disseram que só através do 135 e que não poderiam marcar naquele local. Pense num sofrimento. Tive que sair procurando onde tinha, mas todos quebrados ou sem funcionar”, comentou Nataly.

Para Wandemberg Gonçalves, o orelhão é um equipamento de utilidade pública que não deve ser extinto. “A gente só não usa porque não encontra um funcionando porque numa urgência, a gente tem como recorrer e fazer uma chamada”, destacou. O motorista Francisco Batista, desistiu de procurar um orelhão funcionando. “Na Avenida Tabajaras tem dois, mas só um funciona. Eu canso de emprestar o celular para algumas pessoas que saem das clínicas, principalmente idosas, pedindo táxi, porque não encontrar orelhão funcionando” , disse. De acordo com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), as ligações gratuitas originadas de orelhão da Oi vai até 31 de março de 2019 em oito estados doNordeste (Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí e Rio Grande do Norte) e três da região Norte (Amazonas, Amapá e Pará). Essa medida ocorreu em virtude da empresa Oi não cumprir as metas de disponibilidade de orelhões em funcionamento nestes estados.

Conserto. O CORREIO entrou em contato com a assessoria de imprensa da Oi que informou, por meio da assessoria de imprensa, que encaminhar uma equipe para fazer os reparos e deixar os orelhões em funcionamento. Também garantiu que está ativo até o prazo determinado pela Anatel de ligações gratuitas para fixos e celulares em todo o País. O número de equipamentos defeituosos não foi informado.

Relacionadas